domingo, 20 de março de 2011

CADÊ A SINALIZAÇÃO?

 Trânsito de Porto Velho: na contramão do dinheiro público.
Descobri que sem utilizar um localizador guiado por satélite (GPS) não conseguiria ir para muitos locais dirigindo um carro em Porto Velho – Rondônia. A cidade completa em 2011, 97 anos de emancipação política e administrativa, tem mais de 500 mil habitantes de acordo com levantamento de 2010, do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Mas, entre os seus diversos problemas sociais, um deles é visível para qualquer turista que pisa pela primeira vez no local.  O trânsito é quase caótico.
Um turista ficaria perdido ao circular de carro. As ruas não têm sinalização, placas identificando ruas são difíceis de ver. A frota de veículos cresce em média 16% a cada três anos, de acordo com o anuário estatístico do Departamento Estadual de Trânsito. São mais de 500 mil veículos circulando na cidade hoje. Para se ter uma idéia entre 2008 e 2009, o número de mortes ultrapassou 33%, e esses dados continuam evoluindo.
Os gestores públicos não podem cobrar uma postura correta dos condutores, se não há investimentos na melhoria do trânsito da capital. Demonstra inércia ouvir Prefeito, Governador, políticos, entre outros, argumentando que a imprudência, somado ao excesso de velocidade, consumo exagerado de bebida por motoristas e falta de permissão para dirigir são os únicos fatores que contribuem para as mortes nas ruas e o crescente número de acidentes. Atribuir culpa aos motoristas é fácil, difícil é ver recursos do IPVA – Imposto sobre Veículos Automotores, e demais tributos tendo o seu destino correto, que é a melhoria da infraestrutura do trânsito.
Porto Velho arrecadou ano passado R$ 371,02 milhões de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, e, recebeu mais de R$ 3 milhões de IPVA. Olhando as ruas da cidade, fica uma dúvida grande ao cidadão, e, que parece não ser a mesma preocupação do Ministério Público Estadual e dos órgãos reguladores do dinheiro público: onde foram parar tantos milhões de reais, quem ficou com essa bolada?
Se for dever do contribuinte pagar seus impostos em dia, em tese os gestores públicos deviam apresentar os resultados da arrecadação realizando obras e serviços que possam garantir melhoria da qualidade de vida do povo. Tem alguém rasgando a Constituição Brasileira, e as leis que regem o bom uso dos recursos públicos e investimentos no trânsito. Melhor dizendo, tem “rato” roubando dinheiro com sabor de queijo. Que máfia é essa? 
Muitas capitais do Norte já evoluiram na conscientização, educação, fiscalização, sinalização do trânsito e já conseguem colocar ordem na bagunça que havia nas ruas. Porto Velho se aproxima da Índia, Bolivia, onde não há regra entre motoristas, e a situação vai piorando. Com vontade política, bons projetos e união entre os poderes é possivel ter avanços significativos em 12 meses. E quando nada vai bem, resta ao povo protestar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário