sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

TIÃO VIANA PODE TER MANDATO CASSADO NO TSE


O Ministério Público Eleitoral entrou com um recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a cassação do governador do Acre, Tião Viana (PT), do vice, Carlos Messias, do senador Jorge Viana (PT) e dos suplentes. O motivo seria abuso de poder econômico nas eleições de 2010. 
Segundo a procuradoria, eles teriam cometidos supostos abusos e ilícitos nos meio de comunicação. Há ainda relatos de uso de servidores de empresas privadas que executavam serviços ao Estado, na divulgação e realização de campanhas.
Procuradoria recorre ao TSE contra o governador Tião Viana
Contra os políticos pesa também acusação de conduzir a linha editorial dos periódicos de grande circulação e de canais de rádio e televisão locais, fortalecendo as imagens por meio de matérias jornalísticas positivas, dirigindo críticas aos oponentes.
Ainda de acordo com o MPE, o governo acriano, por meio da empresa de publicidade Companhia de Selva Criação e produções Ltda., destinou publicidade e recursos financeiros a todos os principais jornais efetuando pagamentos por meio de interpostas pessoas jurídicas.
Foi registrada ainda a convocação de servidores do Estado para eventos de campanha, como uma reunião com 1.500 educadores da rede pública de ensino.
Para a procuradoria, "todos os candidatos recorridos foram coautores dos abusos de poder, agindo dolosamente e com domínio funcional dos fatos, usufruindo conscientemente dessas medidas".
De acordo com o artigo 237, do Código Eleitoral, "a interferência do poder econômico e o desvio de poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos", sustenta o Ministério Público Eleitoral.
Na avaliação da procuradoria, a cassação é necessária porque a vitória das urnas ocorreu de forma "ilegítima e ilegalmente, com violações flagrantes que levaram ao desequilíbrio da disputa eleitoral no Estado do Acre".
Da Folha On Line

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

DOCUMENTÁRIO BBC - INDIOS ISOLADOS.



As imagens são da BBC britânica e foram produzidas para o programa “Human Planet”e exibidas durante a série "Jungles – People of the Trees". O sertanista José Carlos Meireles, transcreve suas emoções ao sobrevoar a tribo isolada.
A organização não governamental Survival Internacional faz uma campanha na internet pedindo que o presidente do Peru, Alan Garcia, proteja os isolados de madereiros e empresas exploradoras de petróleo. O abaixo assinado circula no site da entidade americana. Assine também a petição, CLIQUE AQUI.
LEIA TAMBÉM, AQUI.

INTERNET AJUDA JOVENS A REALIZAR PROTESTOS NO ACRE

Estudantes preparam grande manifesto contra reajuste da tarifa de ônibus em Rio Branco
Mobilização ocorre na internet usando Twitter, Facebook, Orkut demais redes sociais e comunicadores instantâneos
Assim como manifestações populares a partir das redes sociais no Egito derrubaram o ditador Hosni Mubarak, que comandou o país com mãos de ferro com a família à base de muita corrupção por 30 anos, no Acre jovens também iniciam movimentos populares se articulando utilizando a internet para protestar contra o reajuste da tarifa de ônibus que saltou de R$ 1,90 para 2,40, por determinação do prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim (PT).
Apesar da tarifa já está valendo ativistas sociais, estudantes acreditam que a força popular pode pressionar para que o poder público recue da decisão.
Um grupo de militantes da causa está divulgando pelo Twitter, Facebook, Orkut e difundindo em demais redes sociais e comunicadores da internet uma campanha para que a tarifa dos transportes coletivos seja reduzida.
A revolta popular contra políticas públicas deficientes já mobiliza diversos países. O ponta pé inicial foi na Praça Tahrir, no Egito, que motivando muitos outros espalhados pelo mundo. Entre os locais com revoltas do povo estão: México, Corea do Norte, Líbia, Tunísia, em países árabes como Bahrein, Iêmen e Iraque, além de Alemanha e Argélia, entre outros. A contabilidade das revoltas são dezenas de mortes, feridos e patrimônio público destruído. 
CLIQUE NA FOTO, PARA VER DIA, LOCAL E HORÁRIO DO PROTESTO EM RIO BRANCO, ACRE

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

GREVISTAS INVADEM PREFEITURA DE RIO BRANCO.

 
Eles reivindicam um reajuste salarial de 12%
 Adailson Oliveira/Gleyciano Rodrigues
A prefeitura bem que tentou evitar um manifesto mais forte dos servidores públicos, não adiantou, faltavam poucos minutos para o meio dia desta quarta-feira quando dezenas de trabalhadores ocuparam a sede da Prefeitura no centro da cidade.
A decisão de invadir a prefeitura foi tomada depois que os trabalhadores rejeitaram a nova proposta de reajuste salarial, apresentada pela equipe econômica. Na semana passada o prefeito Raimundo Angelim ofereceu 5,9% de aumento, os trabalhadores disseram não, queriam 12%. Hoje foi oferecido um percentual maior 7,02% que deveriam ser pagos em três parcelas. Os sindicalistas levaram a proposta ao grupo que estava reunido na praça Plácido de Castro. Na primeira votação, logo foi rejeitada, os trabalhadores não abriam mão dos 12% pedidos inicialmente.
O grupo então decidiu por greve, por tempo indeterminado e ocupar o primeiro andar da sede da Prefeitura onde fica a Secretária de finanças. Com gritos de ordem, disseram não a qualquer possibilidade de negociação que a prefeitura tanto almejava.
Os trabalhadores prometeram montar barracas nos corredores da prefeitura. Nesta quinta-feira, um grupo de cada sindicato vai ás repartições tentar fazer com os colegas não furem a greve, as escolas serão as primeiras afetadas. O Assessor político da Prefeitura Márcio Oliveira, informou que a prefeitura vai continuar negociando com os sindicatos para evitar a paralisação, no entanto, na há possibilidade de repassar aumento superior aos 7,02%. O município dispõe de R$ 9 milhões para os gastos com a folha de pagamento, um percentual maior, vai ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal e colocar em risco as contas da Prefeitura.

COMO VAI A EDUCAÇÃO EM CRUZEIRO DO SUL, ACRE?

Aqui era para funcionar uma escola pública, na zona rural do município de Cruzeiro do Sul, mas a administração do prefeito Vagner Sales (PMDB), parece não dar tanta importância para o problema. 
Essa escola continua abondonada, numa região onde o isolamento geográfico é grande, e estudar é um desafio para muitas familias.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

CLAMOR INDÍGENA


Cem dias “sem” nada resolvido
Desde o dia 29 de novembro de 2010, uma segunda-feira, indígenas de vários povos ocupam a frente do prédio da FUNASA em Rio Branco em reivindicação para melhorias no atendimento à saúde e cumprimento das obrigações devidas àquele órgão, além do pedido de urgência nos reparos na CASAI (reparos físicos e administrativos) e uma investigação para apurar o desaparecimento de recursos destinados a saúde indígena e que nunca chegaram aos destinatários de direito.
Muitos, maldosamente e sob orientação da própria FUNASA, falam que os indígenas querem apenas cargos. Ora, se é assim, porque não resolvem logo o problema. È só construir uma CSAI descente, não desviar recursos ou pelo menos explicar como está sendo gasto, e punir quem tiver que ser punido. Em outras palavras, assumir a responsabilidade. Para isso não precisa dar cargo para nenhum indígena ou quem quer que seja. Mas, não é isso que querem as autoridades de saúde!
É triste ver que depois do fracasso do convênio entre a UNI AC e a FUNASA, apenas o lado indígena do convênio tem sido penalizado. Nenhum diretor da FUNASA foi condenado ou mesmo indiciado. A Uni faliu e os índios passaram para a história como maus administradores e até mesmo como criminosos. E a FUNASA? Bem, seus diretores e outros diretamente envolvidos na gestão fraudulenta do convênio nada sofreram e até nos dá a impressão de que foram promovidos por serem “espertos” e “competentes”. É preciso que a justiça realmente investigue e puna. Mas não podemos admitir que somente os indígenas sejam punidos.
Cem dias e “sem” nada. Sem saúde, sem educação escolar, sem assistência à produção, sem transporte, sem serem consultados quando por ocasião de assuntos que lhes dizem respeito (etnoturismo e exploração de petróleo e gás...), sem nenhuma terra indígena demarcada ao longo desses 13 anos, e, principalmente, sem atenção digna e respeito devido.
Não é mais possível admitir este tipo de situação. A manifestação dos indígenas é legítima e, depois destes cem dias “sem” nada resolvido, queremos nos somar e pedir às autoridades que tomem as providências devidas, pois além de “sem” nada, os índios estão sendo humilhados e desdenhados enquanto povos historicamente e atualmente importantes para este Estado do Acre e Sul do Estado do Amazonas. O Estado brasileiro tem uma dívida com esses povos e nenhuma autoridade pode se furtar à obrigação de fazer valer os direitos conquistados, sob pena de se tornarem autoridades indevidamente nomeadas ou eleitas para tal.
O sangue derramado desses povos irrigará nossas consciências e fará germinar um novo mundo, um novo Brasil, um novo Acre e seremos, então, melhores e felizes.
Lindomar Padilha - Coordenador Conselho Indigenista Missionário Acre/Amazonas

AS REDES SOCIAIS E A QUEDA DE MUBARAK NO EGITO


Têm sua importância histórica a partir do momento que muda o estilo do ser humano
Não de hoje que as redes sociais estão unindo povos e culturas, disseminando opiniões e modismo pelo mundo.
Na queda do ditador do Egito não foi diferente, elas tiveram papel fundamental na conscientização e compartilhamento coletivo de forma célere entre os egípcios, nas idéias  e na interação  entre as pessoas, com as diversas  possibilidades de acesso à informação e ao conhecimento e a cooperação entre os elos da rede sobre os reais problemas que existiam com a permanência do ditador Mubarak e suas conseqüências.
Como todos sabem, a rede internet passou a ser mais que um mero meio de comunicação: ela rompeu a barreira geográfica e abriu horizontes.
Constitui hoje como uma revolução na forma como interagimos, participamos e contribuímos nos ambientes em rede e no mundo.
Daí essa extraordinária força que foi elencada por todos no Egito, no uso das redes sociais para difundir e mostrar os novos ideais de democracia, mostrando de maneira clara a frágil política social e econômica imposta pelo ditador e que afetava os Egípcios.
As redes sociais têm sua importância histórica a partir do momento que muda o estilo do ser humano em compartilhar de maneira pacífica e responsável informações e dados sobre tal evento, situação social, perfil político, perfil demográfico de uma região ou comunidade, situação cultural ou política vivenciada por um povo ou nação.
Informações dão conta que tudo que aconteceu no Egito, com aquela mobilização das pessoas de forma histórica e democrática, deu-se com o acesso das pessoas pela rede social, sendo assim uma ferramenta de divulgação em massa, que deu certo.
Silvano Wanderley – Ambientalista/Pós Graduado em Gestão Empresarial

QUEM GANHA PENSÃO DE EX-GOVERNADOR NO ACRE

Interinos são beneficiados:
Augusto Hidalgo de Lima – 14/08/1966-13/09/1966.
Deputado e médico Augusto Hidalgo de Lima: assumiu o governo provisoriamente na qualidade de presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Acre. Fez a transição do mandato de Edgard Cerqueira e Jorge Kalume. Não é beneficiário de pensão. 
Pojucan Ribeiro – 03/11/1962-16/12/1962.  
O professor Pojucan Ribeiro, interino na gestão de Aníbal Miranda. Ele não governou de forma total, só cumpriu o programa de Aníbal Miranda. Não é beneficiário de pensão. 
Acre paga 16 pensões a ex-governadores ou viúvas ao custo de cerca de  R$ 5 milhões por ano.  
Os cofres públicos do Estado do Acre desembolsam por ano R$ 4,7 milhões com pagamento de pensão a ex-governadores. São 16 os beneficiários e cada um deles recebe a bagatela de R$ 24.117,62 por mês. O dispêndio mensal na folha de pagamento somente para os ex-governadores fica na ordem de R$ 385.881,92.
Saiba quem foram e quem são estes governadores e o período em que governaram o Estado. A pensão de ex-governador do Acre foi extinta no governo de Orleir Cameli e retornou na gestão de Jorge Viana. Veja abaixo: 
Aníbal Miranda (15 de junho de 1962  a 1º março de 1963)
Aníbal Miranda assumiu o governo provisório do mais novo Estado da federação brasileira, quando Rui Lino deixou o cargo para concorrer às primeiras eleições realizadas em 1962. Seu período foi marcado pela transformação do Acre de Território em Estado. 
José Augusto de Araújo (1º de março de 1963 a 25 de março de 1963)
José Augusto foi o primeiro Governador Constitucional do Estado do Acre. Foi deposto pelo golpe militar de 64, pois era um ativista político do PTB e exercia um comportamento considerado “comunista”, postura intolerada pelos militares. 
Edgard Cerqueira (25 de março de 1963 a 12 setembro de 1966)
Edgard Cerqueira, um capitão do exército, que era comandante da 4ª Companhia de Fronteira no Acre, foi indicado para substituir o governador José Augusto. Sua carreira como gestor não atingiu o destaque esperado, pois tinha o perfil mais próximo do comando militar do que como governante. 
Jorge Kalume (19 de setembro de 1966 a 15 de março de 1971)
Jorge Kalume: governou pela ARENA, em plena Ditadura Militar, graças ao fato de que era um político de renome regional e também militante do PDS, que, logo após o golpe com o bipartidarismo, transformou-se em ARENA, e era o partido de sustentação da Ditadura. 
Francisco Wanderley Dantas (15 de março de 1971  a 15 de março de 1975)
Francisco Vanderlei Dantas governou pela ARENA. Ele não teve apoio, por parte dos políticos locais, quando colocou seu nome ao cargo majoritário. Teve em seu favor o grande prestígio que obteve quando foi deputado federal e elaborou um projeto de alfabetização, que lhe consagrou como político. Este projeto foi de grande repercussão nacional, sendo conhecido na época como MOBRAL. 
Geraldo Gurgel de Mesquita (15 de março de 1975 a 15 de março de 1979)
Geraldo Gurgel de Mesquita governou pela ARENA. Foi um dos gestores que mais se destacaram no contexto histórico político do Acre. Divergiu da política econômica de seu antecessor. Mesquita traçou um plano impedindo a entrada dos grileiros e especuladores de terras no Acre e deu incentivos financeiros e até terras aos pequenos e médios produtores agrícolas. 
Joaquim Falcão Macedo (15 de março de 1979 a 15 de março de 1983)
Joaquim Falcão Macedo: governou pela ARENA. No início de sua gestão, tentou dar continuidade à política de Mesquita, continuar incentivando os PAD’s e os PROBOR’s que ajudavam o homem do campo. Não conseguiu, entretanto, porque o presidente João Figueiredo tinha outras orientações. 
Nabor Teles da Rocha Júnior (15 de março de 1983 a 14 de maio de 1986)
Nabor Teles da Rocha Júnior: eleito em 1982 pelo PMDB; Nabor Júnior foi o primeiro governador eleito em 1982 pelo PMDB, após vinte anos de Ditadura Militar. Desenvolveu um governo íntegro. Renunciou ao cargo para concorrer às eleições ao senado federal, tendo sido eleito pela maioria dos votos. 
Iolanda Lima Fleming (15 de março de 1986 a 15 de março de 1987)
Iolanda Lima: era vice-governadora de Nabor Júnior. Assumiu o governo por um período de menos de 1 ano, em 1986, pelo PMDB; Iolanda Fleming foi a primeira mulher no Brasil que exerceu cargo de governadora.  
Flaviano Flávio Baptista de Melo (15 de março de 1987 a 2 de março de 1989
Flaviano Melo: eleito em 1986. Segundo governador eleito pelo PMDB. Na década de 80, ele havia sido prefeito da cidade de Rio Branco, cargo no qual fez uma excelente administração, dando-lhe a chance de eleger-se governador do Acre. Hoje, Flaviano continua sendo um dos caciques do PMDB, partido pelo qual milita. 
Édison Simão Cadaxo (2 de março de 1989 a 15 de março de 1991)
Edson Caxado: era vice-governador de Flaviano Melo. Assumiu o governo por um período de menos de 1 ano, em 1990, pelo PMDB. Em sua passagem pelo governo, sua gestão não foi de grandes realizações, mas merece destaque pela maneira honesta com que governou. 
Edmundo Pinto de Almeida Neto (15 de março de 1991 a 17 de maio de 1992)
Edmundo Pinto: eleito em 1990, após acirrada disputa com o candidato do PT, Jorge Viana.. Edmundo Pinto surgiu como a solução para os problemas do Acre. Traçou suas metas de trabalho em torno da pavimentação da BR-364 e da construção de um grande canal de saneamento sanitário que beneficiaria a população de Rio Branco. Foi assassinado em 17/05/92. 
Romildo Magalhães da Silva (17 de maio de 1992 a 31 de dezembro de 1994)
Romildo Magalhães: era vice-governador de Edmundo Pinto. Com a morte do titular, assume de 1992 até 1994. Romildo inaugurou a grande obra esperada pelos acreanos que foi a pavimentação da BR-364. Com esta rodovia, o Acre saiu do isolamento e passou a integrar o eixo rodoviário com os estados do centro-sul. 
Orleir Messias Cameli (1º de janeiro de 1995 a 31 de dezembro de 1998)
Orleir Cameli: eleito em 1994, assumiu o governo em 1995, pelo trabalho que tinha desenvolvido em Cruzeiro do Sul, enquanto prefeito. Orleir, apesar de não ser conhecido politicamente, era um empresário bem sucedido que se enquadrava no perfil do candidato do povo acreano, muito conservador.  
Jorge Viana (1º de janeiro de 1999 a 31 de dezembro de 2006)
Jorge Viana: engenheiro florestal, foi o primeiro governador e único governador do Acre a exercer dois mandatos depois que foi instituído o instrumento legal da reeleição. Ele entrou para a história como o governador acreano que ficou mais tempo no poder: oito anos. Deu novos rumos à economia do Acre. 
Binho Marques (1º de janeiro de 2007 a 31 de dezembro de 2010)
Binho foi o sucessor de Jorge Viana, de quem era o secretário estadual de Educação. Técnico competente, sua administração foi marcada por grandes obras. Manteve sempre uma postura discreta e nunca foi muito chegado às badalações da imprensa.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

CRITICA: BIG BROTHER BRASIL


(Luiz Fernando Veríssimo)
Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil,... encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.
Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... Todos, na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE...
Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um “zoológico humano divertido”. Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.
Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.
Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade. Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?
São esses nossos exemplos de heróis? Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros: profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados..
Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia. Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.
Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.
E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão!
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? (Paoderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores. Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós.. , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir?
Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

OPERADORA DE INTERNET TEM 30 DIAS PARA RESOLVER APAGÕES

MPF/AC estabelece prazo para “OI” resolver apagões digitais no Acre
Oi celular e telefonia tem um prazo de 30 dias para apresentar aos procuradores um plano de contenção de apagões digitais
Representantes da empresa “Oi - celular e internet” e da Agência Nacional de Telecomunicação – Anatel -, estiveram reunidos na tarde desta sexta-feira, 11, com procuradores do Ministério Público Federal e, Estadual, a fim de buscar uma alternativa para erradicar os recentes apagões nos serviços de telefonia e internet no Acre. A reunião foi provocada após pressão de deputados federais, estaduais, PROCON e da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Acre e movimentos sindicais.
A transmissão de dados via internet no Acre, depende dos cabos de fibra ótica que vem de Rondônia, Estado vizinho. Os usuários desse serviço são sempre surpreendidos com o rompimento dos cabos de trafegam os dados para as cidades acreanas. E a Oi se restringe a informar aos seus clientes: houve um rompimento no cabo de fibra ótica. Esses rompimentos podem ser ocasionados pelas chuvas ou por máquinas agrícolas. Mas nunca uma solução é apresentada para reverter às dificuldades.
Pelos prejuízos ocasionados ao Estado, a OI, foi multada pelo PROCON. A ação judicial prever multa de até R$ 3 milhões. Somente em Rio Branco houve quatro quedas nos sinais para a transmissão de dados em menos de 8 dias - todas com media de 4 horas de duração,  sendo que em um desses apagões os usuários ficaram sem comunicação via Internet por quase 6 horas. Noutros meses, os apagões digitais também causaram transtornos em todos os setores, inclusive nos hospitais públicos e privados, escolas, imprensa, entre outros locais.
CONTINUE LENDO, CLIQUE AQUI

AS CONTRADIÇÕES DO SENADOR ANIBAL DINIZ

Meu Caro Francisco,
Apresento a seguir dois pequenos textos noticiários que, ao mesmo tempo, contradizem a posição do Senador Aníbal Diniz e contesta a afirmativa falsa de que há risco de surto de cólera e doenças sexualmente transmissíveis.
Veja o Que disse o Senhor Abrahim Farahat, do gabinete do Senador Anibal Diniz:
“Os acreanos têm uma dívida de solidariedade com outros povos desde a grande cheia do rio Acre, de 1987, quando recebemos doações até de bribotes da Holanda e da Dinamarca”, lembra Abrahim Farhat, o Lhé, assessor do gabinete do senador Anibal Diniz e um dos fundadores do comitê.
E veja o que diz o Senhor Henrique Corinto, secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Acre:
"A possibilidade de que os imigrantes possam trazer para o Brasil a epidemia de cólera registrada no Haiti está descartada, pois há um rígido controle sanitário e epidemiológico na fronteira. De acordo com Corinto, um posto da Secretaria de Saúde foi transformado em referência para a realização de exames de cólera e de doenças sexualmente transmissíveis. Só depois que o imigrante apresenta um cadastro da Secretaria Estadual de Saúde comprovando a realização dos exames ele pode obter o visto da Polícia Federal”, explica.
Definitivamente o Acre não tem miséria por causa dos haitianos. Negar ajuda a estes irmãos é questão de ética, não de politicagem e não cabem meias verdades.
Bom trabalho.
Lindomar Padilha
O autor deste texto além de cidadão coordena o Cimi Acre

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

ALIADO DO GOVERNO DO ACRE FAZ FARRA EM RONDÔNIA COM DINHEIRO PÚBLICO

Ativista cultural apoiado pelo governo do Acre é envolvido em escândalos em Rondônia
O jornalista Fred Perillo (foto) que ganhou público no Acre, realizando eventos como debates, encontros com personalidades nacionais por meio do projeto “Sempre Um Papo”, e promoveu shows de humor com artistas de renome, está tendo sua conduta questionada nos primeiros meses de mandato do Governo de Rondônia. Fred Perillo foi nomeado pelo governador Confúcio Moura (PMDB), para coordenar o Departamento de Comunicação do Estado.
Em Rio Branco, onde promoveu vários eventos Perillo era respeitado, prestigiado e ganhou rapidinho apoio de grandes empresários. Mas um apoio que não poderia faltar nunca para o ativista cultural em seus eventos, era do governo do Acre e Prefeitura de Rio Branco, a logomarca de ambos poderes sempre esteve estampado nos anúncios publicitários das atividades realizadas por Fred Perillo. Mas agora seu nome está envolvido nos primeiros escândalos do governo peemedebista do Estado vizinho.
De acordo com informações do jornal eletrônico, “Rondônia Ao Vivo”, mesmo contra a ordem do governador Confúcio de fazer economias na nova gestão, Fred Perillo fez uma viagem de férias para Sergipe, onde deveria participar de  um Seminário sobre redes sociais, com tudo pago pelo contribuinte. A função do jornalista seria participar das palestras e debates sobre tecnologia e internet, que poderiam auxiliar no gerenciamento de sua secretária, porém, ele aparece em diversas fotografias se divertindo mais, do que trabalhando.
O jornalista que ganhou fama e dinheiro no Acre com facilidade, usou o celular diversas vezes para postar de sua página no Twitter – microblog – que estaria se divertindo em shows do cantor Lulu Santos numa praia, distante cerca de 30 quilômetros do local onde ocorreria o seminário. Perillo ainda recebeu diárias pagas pelo governo de Rondônia, para ficar todo o fim de semana realizando passeios.
“Com certeza, a viagem deve “engrandecer” a comunicação social e institucional do Governo de Rondônia, que tenta via Decom e Coordenadoria Geral de Apoio à Governadoria dar um golpe na publicidade oficial, com a invenção de uma suposta emergência para não licitar o contrato de mídia e contratar empresa de apaniguados. Um golpe que terminou inclusive com prisão e cadeia para pessoas que ocupavam cargo análogo ao de Fred Perillo em passado recente”, escreveu a redação do Rondônia Ao Vivo.
A denúncia inicial é da jornalista, Ivonete Gomes, do site "Rondônia Agora." Leia:
[“Viagens a rodo
Nota-se uma discrepância entre o que o governador escreve no seu blog e o que o seu governo, de fato, oficializa. Confúcio fala em economia, mas só na semana passada autorizou 10 viagens. Curiosamente, a única justificável não teve ônus para o Estado. O servidor Roberto Tetsuro Nakaoka, participou da “Oficina de Sistema de Gestão da Qualidade do Diagnóstico da Malária”, realizada em Brasília, pagando as despesas do próprio bolso.
Grandes coincidências
Dois grandes eventos aconteceram em Sergipe no final de semana e os dois eventos tiveram a participação de um feliz assessor governamental: FREDERICO DE CASTRO PERILLO, Diretor de Comunicação Social, do Governo, que ganhou quatro diárias para viajar àquele Estado, oficialmente, como explica decreto do governador Confúcio Moura, “no período de 3 a 6 de fevereiro de 2011, a fim de tratar de assuntos de interesse do Departamento de Comunicação Social - DECOM na Secretaria de Estado da Comunicação do Estado de Sergipe”.
Faz-me rir
Observando o calendário, no entanto, essa versão gera dúvida: a não ser que lá os funcionários públicos trabalhem sábado e domingo. Mas o primeiro dia da diária de Perillo cai em uma quinta-feira e a última no domingo. Ele acabou postando no Twitter e outros blogs, que participou de um curso de “Gestão Avançada em Mídias Sociais”, que pensa em trazer a Rondônia e Acre (é empresário do ramo). E não perdeu outro evento nas redondezas, o “Verão Sergipe”, na praia da Caueira, em Itaporanga D'Ajuda, a apenas 26 quilômetros para onde oficialmente o Governo o mandou. Animou-se por lá com um show de um grande nome da música brasileira. “Lulu Santos = Showman”, postou Perillo no Twiiter, no sábado, 5 de fevereiro, as 23h33min. É muita graça pra pouca verba pública, né não?]
Mas as farras com dinheiro do contribuinte de Fred Perillo não param por aí. Contrariando ordens do governador Confúcio ele usa e abusa dos veículos oficiais.
LEIA MAIS, CLIQUE AQUI  
ATUALIZAÇÃO: 
Jornalista Fred Perillo, diretor do Departamento de Comunicação do Governo Confúcio liga para dizer que não foi ouvido pela imprensa Rondoniense, nas denúncias de que teria usado dinheiro público para pagar suas despesas num evento sobre redes sociais em Sergipe. E tudo foi pago com seu dinheiro, tem comprovantes, e que a noticia foi plantada para lhe prejudicar e será assim pela função pública que agora ocupa. Diz ainda que está a disposição para esclarecer qualquer dúvida de todos, referente a qualquer questão de sua administração.

SENADOR DO ACRE É ACUSADO DE PRECONCEITO COM HAITIANOS


CIMI diz que discurso do senador Aníbal com relação aos Haitianos é preconceituoso
Conforme matéria assinada pelo blogueiro e jornalista Edmilson Alves, o Coordenador Regional CIMI Amazônia Ocidental, Lindomar Padilha, afirmou que o discurso do senador Aníbal Diniz (foto) “soa como um enorme preconceito”. Em pronunciamento no Senado Federal, Aníbal pediu a intervenção do Itamaraty para que haja controle de entrada de haitianos no Brasil. 
Do Ac24horas 
Lindomar Padilha esclarece que o Brasil tem um acordo de cooperação com o Haití e, neste acordo, todos os haitianos em refúgio por causa da situação crítica em que se encontra aquele país devem ser acolhidos em solo brasileiro.
- Aqui no Acre, é verdade que a Secretaria de Justiça tem dado assistência, mas isso não significa que o governo como tal tem assumido esta causa. Quem está atuando efetivamente no apoio a estes haitianos é a Igreja por meio da Cáritas Diocesana. Acolher pessoas famintas é mais que um gesto humanitário, é nossa obrigação moral. Não acolher o faminto é o mesmo que roubar lhe o alimento – destacou Padilha.
Ele acrescentou que com relação a ameaça de cólera e de AIDS, cabe ao governo brasileiro oferecer condições sanitárias adequadas. Para o coordenador isso independe da presença de haitianos. 
- O governo tem a obrigação de evitar qualquer surto de doença. Se querem realmente evitar contaminações em solo brasileiro, sugiro que iniciem pela fiscalização do turismo sexual, uso indiscriminado de drogas etc.  
Em apelo, Padilha pede respeito aos irmão mais necessitados. Ele finalizou seu repúdio dizendo que “os mais pobres entre os pobres é que precisam de nossa ajuda”. A chegada dos Haitianos em território acreano teve início no mês de janeiro. 
O Conselho Indigenista Missionário é uma organização da Igreja Católica ligada a Conferência Nacional dos Bispos, e luta pela defesa dos direitos humanos, cidadania e respeito a pessoa humana. Lindomar Padilha é ativista dessa causa e coordena o Cimi no Acre.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O DEPUTADO "BATE E ASSOPRA"

Edvaldo Souza faz discurso neutro em relação a tarifa de ônibus
No estilo "bate e assopra", deputado apresentador de TV critica o aumento da tarifa, mas diz que não tem nada pra falar dos empresários.
Edvaldo Souza faz discurso neutro em relação a tarifa de ônibus
O eleitor que esperava um mandato mais atuante vai ter que se contentar com discursos neutros, quando o deputado estadual e jornalista Edvaldo Souza (PSDC), subir na bancada da Assembléia Legislativa.
O jornalista até que se esforça, mas faz a linha “bate e assopra”. Ao mesmo tempo em que faz duras criticas aos problemas sociais do povo acreano, ameniza dizendo que o poder público faz um excelente trabalho e desvia responsabilidades.

DEPUTADO PEDE O FIM DA PENSÃO PARA EX-GOVERNADORES NO ACRE


Wherles Rocha apresenta projeto contra pensão de ex-governadores
A proposta além de afetar os ex-governadores da FPA, atinge também aliados políticos como o deputado federal Flaviano Melo, ex-governador.
Wherles Rocha apresenta projeto contra pensão de ex-governadores
O deputado estadual e major da PM Wherles Rocha (PSDB), vai colocar à prova a moralidade e ética da Assembléia Legislativa do Acre. Ele apresentou projeto de lei sua autoria com a finalidade de por fim a pensão vitalícia para ex-governadores no Acre.
Segundo o deputado militar, a idéia é acabar com a “indecência dessa pensão para ex-governadores, pessoas que não trabalham mais para o povo e, que o contribuinte não tem obrigação de ficar pagando suas despesas pessoais”, disse ele.