terça-feira, 4 de janeiro de 2011

ATIVISTA DA PASTORAL DA TERRA É MORTO NO AMAZONAS


Assassinato de vereador petista abala Guajará, no Amazonas        
Genival Moura   
Mais de quatro mil pessoas acompanharam o enterro do vereador Rob Klei de Melo Nepomuceno, 34 anos. O crime aconteceu no município localizado a 16 quilômetros de Cruzeiro do Sul, nas primeiras horas de 2011.
De acordo com informações da Polícia Militar de Guajará, o homicídio aconteceu por volta das 3 horas da manhã de sábado, 1. O vereador teria sido chamado a um bar, para ajudar um irmão e um amigo, envolvidos em uma briga. Na confusão ele foi atingido com uma facada nas nádegas e sem mobilidade para correr, recebeu um golpe mortal na altura do pescoço.
Samoti Nepomuceno, irmão do vereador, foi atingido com uma facada no braço, Jair Fonseca, amigo de Rob Kler, teve ferimentos em uma das pernas e nas costelas. Os dois feridos foram removidos ao Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, onde receberam atendimento.
O peão de fazenda, Célio Roberto Matias da Silva, 26 anos e o cunhado dele, José Carlos de Souza Menezes, 40 anos, são os principais suspeitos dos crimes. Os dois foram presos em flagrante, apesar de confessar o envolvimento na briga eles negam que tenham cometido o homicídio.
Rob Kler era muito conhecido também em Cruzeiro do Sul, pelo serviço prestado durante muitos anos à frente da Comissão Pastoral da Terra (CPT). O vereador também tinha um trabalho em diferentes movimentos sociais ligados a igreja católica no Acre e Amazonas. Foi responsável pela formação de grupos de jovens nas comunidades eclesiais de base. Na CPT atuou no combate ao trabalho escravo, defendia a reforma agrária e lutava pelos conflitos fundiários.
Rob Kler há alguns anos foi ameaçado de morte pela sua militância social. Assim como ele muitos ativistas ligados a Igreja Católica na região do Vale do Juruá, correm riscos de morte pela forte atuação. Alguns perderam vida lutando pelos direitos humanos e morreram no esquecimento.
A morte do vereador abalou o pequeno município, milhares de pessoas passaram pela Câmara de Vereadores onde aconteceu o velório para dá o último adeus. Uma multidão também seguiu o cortejo até o cemitério.
Devido à repercussão do crime, o sargento da Polícia Militar, Osvaldo de Moura Azevedo, que também atua como delegado em Guajará, não descarta a possibilidade de uma tentativa de linchamento dos acusados, por isso, já deixou em alerta o comando da PM do Amazonas.
(www.tribunadojurua.com)
COMENTÁRIO DA EDITORIA DO BLOG: 
Rob Kler foi um dos companheiros que participaram da minha militância em movimentos sociais no Vale do Juruá. Admirava o trabalho dele, pela força de vontade em conciliar a preocupação  social e os deveres de pai e responsável por sua familia. Mas a raiz dele foi plantada, que venha os frutos da determinação e preocupação com o outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário