sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

DOENÇA MISTERIOSA NO ACRE



Reportagem do jornalista Genival Moura (SBT local), de Cruzeiro do Sul, Acre, vencedora da categoria telejornalismo da XI edição do prêmio de jornalismo José Chalub Leite, 2010.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

GOVERNADOR E SENADOR ELEITO DO ACRE ENROLADOS COM A JUSTIÇA


Tião e Jorge são investigados por doação irregular de recursos de empreiteiras e uso da máquina
Governadores que saíram vitoriosos em outubro podem ter de enfrentar uma nova votação, desta vez nos tribunais eleitorais, por irregularidades
Ivan Iunes
As eleições terminaram em outubro, mas há um terceiro turno à vista em pelo menos cinco estados. Recém-eleitos ou reeleitos, governadores podem iniciar o mandato a partir de 1º de janeiro já com processos de cassação por irregularidades durante a campanha. Vencedores nas urnas, Roseana Sarney (PMDB-MA), Marcelo Déda (PT-SE), Tião Viana (PT-AC), Omar Aziz (PMN-AM) e Silval Barbosa (PMDB-MT) são investigados pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público por um leque de acusações que vão de abuso de poder econômico e político até a compra de votos e captação de recursos.
Dos governadores eleitos em 2006, três foram retirados dos mandatos pela Justiça, depois de serem condenados por irregularidades durante as eleições: Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Marcelo Miranda (PMDB-TO) e Jackson Lago (PDT-MA). Agora, pelo menos dois futuros governadores já têm processos abertos nos tribunais regionais estaduais e outros três são investigados, dois com denúncias consideradas graves.
Eleito no segundo turno, Barbosa foi acusado pela coligação rival, com a concordância do MP, de compra de votos durante um congresso religioso. No evento, que reuniu 2 mil pessoas em Cuiabá em 22 de agosto, o governador reeleito teria pedido votos aos fiéis o que configuraria “captação ilícita (de votos) por recebimento de propaganda paga por fonte vedada.” O processo, que corre no TRE-MT, estava na pauta de julgamento na quinta-feira, mas acabou adiado. Deve ser retomado pelos ministros durante a semana.
O outro eleito com processo já aberto, Déda, teria cometido crime de abuso de poder político ao oferecer almoço de lançamento da candidatura para 300 pessoas na residência oficial do Sergipe. O encontro teria sido custeado com verbas públicas, e servidores e secretários de Estados teriam trabalhado no evento. Por meio de sua assessoria, o governador reeleito alegou que o almoço foi um evento político e que não infringiu qualquer artigo da legislação eleitoral. Caso seja condenado, ele pode ter pagar R$ 60 mil de multa.
Ainda sem processo aberto, mas com sérias irregularidades em apuração pelo MP, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, pode ter o mesmo destino do antecessor, Lago. Ela é investigada por ter firmado convênios irregulares com prefeituras, inclusive tendo liberado as verbas antes da publicação das parcerias. Os procuradores eleitorais também investigam a criação de um programa de doação de casas pelo governo de Roseana, sem qualquer previsão orçamentária ou lei aprovada pela assembléia estadual. “A questão dos convênios constitui, até agora, as irregularidades mais fortes encontradas na campanha de Roseana. Foi uma enxurrada de convênios, todos próximos do início da campanha”, afirma a procuradora eleitoral Carolina da Hora. O MP pretende concluir as investigações até 18 de dezembro.
Sob investigação - 
Acre
Tião Viana (PT-AC)
Investigado pelo MP por irregularidades na doação de recursos de empreiteiras e utilização da máquina pública na campanha
Amazonas
Omar Aziz (PMN)
O governador reeleito teve as contas rejeitadas pelo TRE-AM depois de ter contratado uma empresa terceirizada para organizar, e remunerar, cabos eleitorais.
Maranhão
Roseana Sarney (PMDB)
Também reeleita, ela é investigada pelo MP por diversas irregularidades. A principal delas, uma enxurrada de convênios que teriam sido assinados com prefeituras fora do prazo legal e recebido recursos antes da publicação do acordo.
Mato Grosso
Silval Barbosa (PMDB)
Governador reeleito, está com o processo na pauta de julgamento do TRE-MT por captação ilícita de votos durante um congresso pago por uma entidade religiosa.
Sergipe
Marcelo Déda (PT)
Teve a cassação pedida pelo MP e está com o processo em andamento no TRE-SE por ter lançado a campanha em um almoço para 300 pessoas na residência oficial do estado. A prática configuraria utilização da máquina pública.
Pagando no atacado - Eleito governador pelo Acre, Tião Viana é investigado, com o irmão, o senador eleito Jorge Viana (PT-AC), por compra de votos, utilização irregular da máquina pública e captação ilícita de recursos. Os dois foram alvo de uma operação da Polícia Federal, às vésperas do pleito de outubro. Na ocasião, a PF apreendeu documentos nos respectivos escritórios de campanha. A investigação ainda não foi concluída pelo Ministério Público, mas os irmãos alegam que a operação contém irregularidades do “início ao fim”.
No estado vizinho ao Acre, o Amazonas, o governador eleito Omar Aziz também terá de prestar esclarecimentos à Justiça Eleitoral. A irregularidade, que também atinge os senadores eleitos Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB), foi detectada na prestação das contas de campanha. Os três eleitos não teriam explicado satisfatoriamente a contratação de uma mesma empresa para que ela fizesse o pagamento de cabos eleitorais. Cerca de 6,8 mil militantes teriam sido pagos pelo trio por meio da empresa, em valores que superam os R$ 8 milhões. A irregularidade, no entanto, ainda não resultou na abertura de processo e os eleitos devem recorrer durante a semana.
Nova eleição - Pela legislação eleitoral, a lista atual dos possíveis cassáveis coloca o risco de novas eleições no Amazonas, Maranhão, Sergipe e Acre, locais em que os futuros governadores venceram o pleito no primeiro turno. Caso sejam condenados, a maioria dos votos seria anulada, o que forçaria uma nova sessão de votações. No caso de Mato Grosso, caso o processo contra Silval culmine com a cassação do governador, o segundo colocado em outubro, Wilson Martins (PSDB), assumiria o posto. (II)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

INTERNAUTAS PLANEJAM AÇÃO SOCIAL CONTRA A DENGUE

Rio Branco concentra mais de 91% das ocorrências no Estado do Acre, e com um agravante de já ter ocorrido 6 óbitos. Nosso índice de infestação predial é de 6,54% e a Organização Mundial da Saúde (OMS) define que números acima de 1% representam risco iminente de epidemia. Preocupados com esses dados internautas acreanos decidem se mobilizar para conscientizar o público sobre a prevenção contra a dengue.
Primeiro os usuários das redes sociais do Acre usaram o Twitter – microblog em 140 caracteres – para coletar donativos, agasalhos, roupas e calçados para instituições carentes de apoio as crianças e idosos. Esse foi o Flash Mob – uma mobilização rápida. O segundo evento foi a Parada Cultural: um dia inteiro de atividades culturais e venda de roupas em um bazar. O dinheiro arrecadado foi repassado em doações para organizações não governamentais.
Agora jornalistas, usuários do Twitter, demais internautas estão se mobilizando para usar seus computadores contra o mosquito da Dengue. A idéia e espalhar informação, conscientização e fazer ações práticas educativas nas comunidades. A luta contra a dengue agora ganha um reforço poderoso: os internautas.
A primeira iniciativa contra o “Aedes Aegypti” surgiu de conversas entre twitteiros e ganhou força na noite desta quinta-feira, 09, durante o programa de rádio Navegantes, apresentado pela jornalista Andréa Zílio, na Rádio Aldeia, quando foi proposto a astag (código de busca na web) e o slogam da campanha: #TodosContraADengue. Em seguida, Adaildo Neto que é webdesigner e também um promotor de iniciativas sociais já pensava na criação de uma avatar [imagem ilustrativa no Twitter] para a campanha. 

Do Vale do Juruá veio o reforço do internauta Crístofer Bruno, que promete espalhar a campanha pela internet em Cruzeiro do Sul. E assim de maneira coletiva a guerra contra o mosquito vai sendo deflagrada nas redes sociais.
“Gente, vamos navegar nessa onda juntos. A dengue não é só um caso de ação pública, é de cada cidadão, aliás, é a atitude de muitas pessoas que fizeram esses dados crescerem”, disse Andréa Zílio, motivadora da proposta.
Os interessados em discutir a campanha contra a dengue do Acre na internet estão sendo convidados para uma conversa, onde sugestões serão apresentadas e discutidas. O encontro deve ocorrer na próxima segunda-feira, 13, às 19h na Biblioteca da Floresta, no Parque da Maternidade.
A idéia tem o apoio do Encontro de Twitteiros Culturais do Acre (@ETC_Acre), responsável por diversas mobilizações sociais na web no Acre.

ANTÔNIA LÚCIA CONSEGUE SALVO CONDUTO NO TSE


Candidata eleita no Acre e denunciada por compra de votos consegue salvo conduto no TSE
Denunciada por compra de votos na campanha de 2010 e com mandado de prisão preventiva contra si expedido pelo juiz eleitoral da 10ª Zona Eleitoral do Acre, a deputada eleita pelo PSC do Acre Antônia Luciléia conseguiu a expedição de um salvo conduto. A decisão é do ministro Marco Aurélio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que concedeu liminar em habeas corpus impetrado na Corte pela defesa da candidata.
A denúncia apresentada pelo Ministério Público diz que Antônia Luciléia teria garantido abastecimento para proprietários de veículos que aceitassem colocar adesivos do partido e participar de carreata em favor da candidata. De acordo com a defesa, Antônia foi considerada mentora dessa prática, além de ser acusada por falsificação de contratos de locação de carros para fins eleitorais.
O juiz tentou citar a denunciada, mas como não a encontrou, decretou sua prisão preventiva. Segundo a defesa, porém, a Justiça Eleitoral teria ciência de que além de Rio Branco, a candidata teria residência em Manaus, onde residem seus filhos, e Brasília, uma vez que seu marido é deputado federal. “Portanto, deveria a autoridade dirigir-se também a Manaus e Brasília, na tentativa de realizar a citação”, sustenta o defensor.
A defesa ainda recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral do estado, mas o relator do habeas naquela Corte decidiu pedir informações ao juiz eleitoral e ouvir o Ministério Público antes de decidir sobre o pedido de salvo conduto.
Domicílio - Para o ministro Marco Aurélio, as circunstâncias deste processo são “emblemáticas, por revelarem prática inconcebível”.  De acordo com o ministro, eleita deputada federal e estando próxima a diplomação, Antônia “foi acionada perante a Justiça Eleitoral e, não tendo sido encontrada em certa residência, presente o fato de possuir outras, não se sabendo aquela que surge com características de ânimo definitivo - o domicílio -, veio a ter a prisão formalizada, em termos de pronunciamento judicial”.
Incumbia ao Tribunal Regional Eleitoral não postergar a definição do pedido de liminar, mas enfrentá-lo imediatamente. No entanto relegou a apreciação da medida de urgência para período posterior não só às informações do Juízo como também à manifestação do Ministério Público, frisou o ministro.
“A toda evidência, cabe o implemento de providência que resguarde a situação jurídica de locomoção da paciente”, asseverou o relator ao conceder a liminar e determinar a imediata expedição de contramandado de prisão em favor de Antônia Luciléia.

Da agência de noticias do TSE.

ORGIA SEXUAL EM INSTALAÇÕES MILITARES

Orgia na Torre: Militares da Aeronáutica promoviam sessões de sexo na Torre de Controle Aéreo do Aeroporto de Rio Branco
A torre do Centro de Controle Aéreo do Aeroporto de Rio Branco, operada sob a responsabilidade da Força Aérea Brasileira, segundo uma fonte já serviu de local para orgias sexuais entre militares e garotas de programa. O caso teria acontecido em meados de abril do ano passado, mas por determinação do Comando do CINDACTA IV, 4º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo, com base em Manaus (AM) subordinado ao DECEA, Departamento de Controle do Espaço Aéreo, foi totalmente abafado.
Na época, segundo à fonte, descobriu-se que controladores do vôo que atuam diretamente na Torre de Controle de Tráfego Aéreo, estariam levando para dentro do ambiente de trabalho, as dependências militares da Aeronáutica no aeroporto de Rio Branco, garotas de programa.
Uma sindicância interna foi instalada e em poucos dias, os envolvidos foram identificados. A reportagem não teve acesso aos depoimentos prestados pelos envolvidos à sindicância, mas as informações precisas repassadas pela fonte confirmam a grave falta cometida pelos militares durante o horário de expediente.
Apontado pela investigação interna como um os militares responsáveis pela entrada de civis no espaço destinado exclusivamente aos militares, o Sargento Giuliano foi afastado de suas funções e passou 18 dias preso no quartel do 4º Batalhão de Infantaria de Selva, em Rio Branco.
Por não ter evitado essa prática, e por colaborar indiretamente com a indisciplina de seus comandados, o 1º Tenente Afonso Corrêa, responsável pelo Comando da Aeronáutica no Acre foi transferido para o estado do Pará.
Um especialista em controle de tráfego aéreo consultado pela reportagem , disse que a presença de pessoas estranhas ao serviço durante procedimentos de pousos e decolagens de aeronaves, pode contribuir para uma desatenção do controlador de vôo, e, por conseguinte uma falha que pode até resultar em acidentes.
“O risco é tirar atenção do controlador. O controlador trabalha sob pressão. Se você leva alguém estranho para a sala de controle, perde a atenção do tráfego que está sob seu domínio, e de repente, provocar alguma manobra que pode até resultar em acidentes”, observou o especialista.
O outro lado – Nossa reportagem tentou por diversas vezes ouvir a versão do Sargento Giuliano, mas em todas as tentativas foi informada que o militar não poderia atender a ligação.
O texto é do site ac24horas, que não apresenta elementos que comprovem a suposta orgia sexual em instalações militares.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

ACRE E RONDÔNIA COBRAM "MENSALINHO" NO CONGRESSO NACIONAL

É difícil esperar uma boa noticia do Congresso Nacional. Agora o jornalista Montezuma Cruz que faz parte do grupo de assessoria do Deputado Federal Fernando Melo (PT), espalhou pela sua página no Twitter – microblog em 140 caracteres – que parlamentares do Acre e Rondônia estão cobrando “mensalinho” para quitar dívidas contraídas na última campanha eleitoral.
Os nomes dos envolvidos não aparecem, mas Montezuma diz que os deputados pagam salário dos seus servidores e já retiram certa quantia para supostamente pagar dívidas de campanha.
“Jornalistas acreanos e rondonienses só agora constatam "mensalinhos" feitos por deputados para pagar contas de campanha. Alô coleguinhas do Acre e de Rondônia: suas excelências avançaram sobre os salários de servidores em novembro. Acordem!”, escreveu Montezuma.
Conta o jornalista que alguns servidores foram surpreendidos com o saque em seus pagamentos. “Algumas excelências nem sequer comunicaram servidores em cargos de confiança. Atacaram seus bolsos e tchau. Na calada da noite, excelências se consideraram invisíveis. Folhas de pagamento tiraram o disfarce e a cara de pau”, descreve o Twitteiro.
Mas o alerta já tinha sido dado. “Há um mês disse aqui que um dos "mensalinhos" rende cerca de R$ 60 mil a um deputado perdedor das eleições 2010”, afirma. E tudo ocorre na calada da noite.
Montezuma revela que as cifras retiradas dos servidores são altas e feitas em manobras que mais parece cena de filme de Hollywood. E povo fica na espera de uma investigação séria pelo judiciário e demais órgãos reguladores do dinheiro público.

OS MELHORES JORNALISTAS DE 2010 NO ACRE


Jornalistas do Vale do Juruá venceram duas categorias do prêmio mais importante do Estado. 
No Oscar do Jornalismo Acreano, o repórter Genival Moura levou o prêmio em telejornalismo principal categoria do prêmio e fez a festa com Luciana Teixeira, que recebeu o prêmio por produzir a melhor reportagem de rádiojornalismo na categoria indústria.
Tendo como cinegrafista e editor o repórter Joseilson dos Santos, a matéria produzida pelo repórter Genival Moura especial para a TV Juruá, conta o drama vivido por integrantes de uma família no município de Mâncio Lima que sofrem de uma doença, até agora desconhecida. A doença que parece ser hereditária começa a se manifestar em idades variadas. Suas vítimas começam perdendo a coordenação motora e os movimentos dos braços e das pernas ficam mais lentos, atinge também a voz e o caminho é a cadeira de rodas, muitos já morreram. 
Na reportagem com mais de 13 minutos de duração, são ouvidos profissionais de saúde em Cruzeiro do Sul e Rio Branco e ainda são usadas cenas de uma série japonesa baseada em uma história real, de uma adolescente que aos 15 anos começou a sofrer de uma doença semelhante a que faz vítimas em Mâncio Lima. A garota foi orientada pelo médico a escrever um diário relatando todo sofrimento até o fim de seus dias. O diário serviu de roteiro para a série intitulada “Um litro de lágrimas”.
Luciana Teixeira repórter das rádios Aldeia, Difusora e Integração, ganhou o prêmio de rádiojornalismo indústria, matérias que mostram o crescimento da indústria e boas histórias de vida. Em 2009, Luciana ganhou na categoria radiojornalismo, conquistada este ano pelo repórter Djane Pinto da Rádio Difusora de Sena Madureira.
Em cada categoria são anunciadas três matérias que chegam a final para anunciar o vencedor, em rádiojornalismo indústria as três que decidiram foram de Luciana Teixeira, sendo necessário anunciar apenas qual reportagem de Luciana seria a vencedora.  
Em 2009 o prêmio de telejornalismo também veio para o Juruá, com a repórter Jaqueline Teles da TV Juruá.
A maior participação dos jornalistas do interior do Acre que estão resultando em prêmios, se deve a presença do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac) nos municípios mais afastados. De acordo com o presidente da entidade, Marcos Vicentti, a entidade procura mostrar que os profissionais do interior são capazes e estão em condições iguais aos jornalistas da capital para concorrer o prêmio. 

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010