terça-feira, 26 de outubro de 2010

ACRE DEIXA DE LADO DOENÇAS TROPICAIS E SE PREOCUPA COM SUPER BACTÉRIA


O Acre ainda não conseguiu reduzir os índices de doenças tropicais e já se preocupa com ações de prevenção de uma super bactéria (KCP), que ainda não vitimou ninguém no Estado, ou, chegou na região de fronteira.
Enquanto isso, casos de malária se propagam pela região do Vale do Juruá (formado por 7 cidades). Os moradores reclamam da infestação da doença e de terem picados várias vezes pelo mosquito contaminado. A cura também tem ficado difícil, sem orientação e monitoramento do sistema público de saúde.
Em Rio Branco na capital, casos de leptospirose, doenças de chagas, e dengue ainda preocupam os moradores. Os números de doentes não foram estabilizados.
Mas o assunto agora é outro. O governo do Estado fez uma exposição midiática para falar da superbactéria que atinge vários estados brasileiros.
Argumentando que segue recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), através das Comissões de Controle de Infecção Hospitalar, afirma que vem controlando o uso de antibióticos pelos pacientes em todas as unidades de Saúde.
O Estado diz ainda que estão sendo instalados mais dispensadores de álcool em gel nos hospitais, para que os profissionais possam utilizar com mais frequência. A intenção, de acordo com a secretaria de assistência à Saúde, Lúcia Carlos Paiva, é evitar a chegada da superbactéria no Acre.
"Não temos nenhum registro de infecção, mas há algum tempo estamos adotando as medidas necessárias para evitar problemas. Seguindo determinação da Anvisa, estamos com um maior controle sobre a utilização dos antibióticos e disponibilizando mais álcool em gel nas unidades. Estamos trabalhando para evitar a chegada dessa superbactéria", explicou ela.
"Mesmo nos pacientes encaminhados temos todo cuidado de fazer exames para saber que tipo de antibiótico podemos usar", afirmou a secretária e disse que as Comissões de Controle de Infecção Hospitalar, vem atuando com rigor, principalmente na questão do uso de antibióticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário