sexta-feira, 4 de junho de 2010

SEGUNDA FEIRA DE CAOS NOS TRANSPORTES COLETIVOS

As previsões são as piores possiveis para quem pensa em usar os transportes coletivos de Rio Branco, Acre, na próxima segunda-feira, 07.

A greve dos trabalhadores dos transportes coletivos segue para o décimo segundo dia. E a categoria promete radicalizar; vão desafiar as autoridades policiais e judiciárias, mesmo diante das ameaças de aplicação de multas milionárias (R$ 700 mil), ou do pedido de prisão dos patrões para a sindicalista chefe.

Celina Ferreira que é presidente do Sindicato dos trabalhadores dos Transportes de Passageiros do Acre comprou uma briga que parece se eternizar com os empresários dos transportes coletivos em Rio Branco.

O sindicato está sendo obrigado a colocar 100% da frota para circular durante a greve, mas a decisão não foi cumprida na última segunda-feira, 31, e deve se repetir na próxima semana. O caos será grande para a economia local: setores comerciais e empresariais.

Durante entrevista para uma emissora local, Celina afirmou que “se os empresários dos transportes não atender as reivindicações dos motoristas e cobradores até domingo dia 06 de Junho, a categoria vai parar novamente 100% da frota deixando o usuário mais uma vez sem transporte na próxima segunda-feira 07”, garantiu.

Depois do impasse, a prefeitura de Rio Branco deu permissão aos taxistas para fazer transporte lotação para minimizar os prejuízos. Além dos trabalhadores prejudicados com a greve, estudantes também não puderam chegar até á escola; o comércio sentiu os reflexos na queda das vendas.

Detalhe: os empresários não estão cedendo às pressões e já protocolaram pedido de reajuste na tarifa de ônibus ao município. O histórico dos patrões tem sido de promessas e pouco se cumpre, a justiça teve que obrigar os empresários a colocar frota nova em circulação.

A prefeitura de Rio Branco, que tem o poder das concessões na mão ainda não cassou nenhuma das permissões para transportes coletivos diante dos impasses. Até a justiça do trabalho vem sendo acusada de remar contra a maré e agir em defesa dos patrões.

Os estudantes em tom ameaçador se preparam para um conflito com as policias e os empresários. Causar mais prejuízos aos patrões, queimando e destruindo ônibus não seria uma má idéia. Ou então fazer roleta livre, deixar o ônibus circular sem cobrar nada dos usuários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário