segunda-feira, 24 de maio de 2010

TREMOR DE TERRA NO ACRE NOVAMENTE

Tremor no AC foi profundo demais para causar destruição, diz sismólogo. Abalo sísmico teve magnitude de 6,5 pontos. Como ocorreu a 580,5 km sob o chão, terremoto se dispersou no subsolo.


Iberê Thenório Do G1, em São Paulo


Apesar de atingir 6,5 pontos de magnitude, o tremor que ocorreu no Acre nesta segunda-feira (24) foi muito profundo para causar estragos, afirma o sismólogo da Universidade de Brasília (Unb) João Corrêa Rosa. O abalo sísmico aconteceu a 580,5 km de profundidade e, segundo o especialista, quanto mais fundo o epicentro do terremoto, menos problemas ele causa. "Ocorre um amortecimento, um espalhamento das ondas [sísmicas] antes de elas chegarem à superfície."


O sismólogo explica que a situação no Acre é muito diferente do terremoto que abalou o Haiti no início do ano. Lá, o abalo atingiu 7 pontos de magnitude mas ocorreu a apenas 10 km de profundidade, além de estar muito próximo à capital do país.


Terremotos AcreBolas vermelhas mostram os terremotos que ocorreram no Acre e regiões vizinhas nos últimos 20 anos. A estrela representa o abalo sísmico desta segunda-feira (24). Tremores fazem parte do fenômeno que forma a Cordilheira dos Andes.


Segundo Rosa, os terremotos no Acre fazem parte do fenômeno geológico que forma a Cordilheira dos Andes. O estado fica sobre a placa tectônica da América do Sul, mas embaixo dele está a ponta da placa de Nazca, que vem do Oceano Pacífico e está entrando sob a América do Sul.


"Sismos nessa região são comuns. Não é difícil ocorrer abalos a dessa magnitude perto [da cidade] de Cruzeiro do Sul.", diz.


De acordo com o sismólogo, um terremoto da magnitude do que ocorreu no Acre seria sentido pela população se acontecesse no máximo a cerca de 50 km de profundidade. Um fenômeno assim, contudo, é muito raro, pois na região o "esfrega-esfrega" entre as placas tectônicas ocorre a centenas de quilômetros abaixo do solo.


Veja mais, aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário