sexta-feira, 7 de maio de 2010

DEPUTADOS DO ACRE CONTRA OS APOSENTADOS

Fernando Melo e Nilson Mourão votam contra reajuste previdenciário dos aposentados

O Plenário aprovou na última terça-feira (04), reajuste de 7,72% para as aposentadorias da Previdência Social acima de um salário mínimo. O índice foi incluído na Medida Provisória 475/09 por meio de emenda do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) e corresponde à inflação acumulada pelo INCP mais 80% da variação do PIB de 2008 para 2009.

Os deputados aprovaram também, por 323 votos a 80 e 2 abstenções, a emenda do líder do PPS, Fernando Coruja (SC), que acaba com o fator previdenciário - é uma fórmula que reduz, na maioria das vezes, os valores dos benefícios da Previdência em relação ao salário de contribuição.

O reajuste de 7,72% é retroativo a 1º de janeiro deste ano, mas, para as aposentadorias concedidas a partir de março de 2009, ele será concedido proporcionalmente à data de início do pagamento.

Mas os petistas Fernando Melo e Nilson Mourão, foram os únicos a não concordar com a proposta de reajuste do beneficio previdenciário. Esse voto dos governistas pode ter ocorrido depois que o presidente Lula por meio do ministro do planejamento Paulo Bernardo, disse que o valor reajustado era exorbitante.

Antes de aprovar os 7,72%, o Plenário rejeitou, por 193 votos a 166 e 1 abstenção, a emenda do deputado José Maia Filho (DEM-PI) que propunha um reajuste de 8,77%.

Os acreanos Fernando Melo (PT), Flaviano Melo (PMDB) e Nilson Mourão (PT), votaram contra a proposta do colega do Piauí. Apenas Henrique Afonso (PT) votou favorável.

A DESCULPA DOS DEPUTADOS - Por telefone o deputado federal Nilson Mourão não apresentou explicações para sua votação contrária ao reajuste salarial dos aposentados. Disse apenas, “eu estou fora do gabinete, não tenho com dar um posicionamento agora, preciso ver também qual foi a posição da bancada. Tiveram naquele dia duas votações seguidas, eu preciso me lembrar qual delas votei”, explicou.

Fernando Melo deixou de votar pelos idosos e optou por defender interesses do seu partido. “O meu argumento é de que estava seguindo recomendação do meu partido, a base governista rachou, foram 80 votos do PT. O reajuste real foi dado pela primeira vez na história do país para os aposentados, nenhum país fez isso ainda. Como sou da base do governo votei contra”, disse o petista.

A mudança salarial vai causar um impacto no orçamento da união estimado em R$ 4 bilhões anual, e, mais de 8 milhões de aposentados poderão ser beneficiados com a medida.

Atualização:

Os deputados federais Perpetua Almeida, Gladson Cameli, Nilson Mourão e Fernando Melo em relação à votação do projeto de Lei que concedeu o reajuste 7,7% para os aposentados.

Os dois primeiros se ausentaram do plenário da Câmara e os dois últimos votaram contra a proposta.

Enfim, os quatros foram contra os aposentados.

Votaram a favor: Henrique Afonso, Flaviano Melo, Iderlei Cordeiro e Sergio Petecão.

Veja como votou cada um dos deputados, aqui.

Um comentário:

  1. Esses Petista só votam a favor quando é beneficio proprio, só quando se beneficiam ai sim eles tem interesse.

    ResponderExcluir