sexta-feira, 6 de novembro de 2009

TRÁFICO INTERNACIONAL DE MENORES NO ACRE

CPI investiga tráfico de meninas para Bolívia e Peru

Por Gilberto Lobo - A Tribuna

Muitos casos de abusos sexuais foram denunciados à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, mas nenhuma denúncia, como ressaltou o deputado Luiz Tchê, levou a CPI e a polícia às pessoas que lideram a rede de pedofilia do Estado. “Queremos saber quem é o peixe grande da pedofilia no Acre”, disse.

Segundo o parlamentar, as denúncias à CPI têm aumentado constantemente, no entanto, são casos isolados sem conexão entre si. São abusos sexuais contra menores cometidos por familiares.

“Dessa forma, estamos entre a delegacia e a Justiça, porque investigamos e descobrimos muitas coisas sobre essas denúncias, mas não temos poder de polícia para mandar prender ninguém”, explicou.

Os deputados também investigam tráfico de menores para países vizinhos, como Bolívia e Peru. Há informações de que uma cafetina agencia meninas e prostíbulos na fronteira. A revelação foi feita por um vereador de Acrelândia. “Fomos à Bolívia e procuramos pistas sobre esses casos”, acrescentou Tchê.

Relatórios de empresas de transportes aéreos foram pedidos pelos membros da comissão para saber o fluxo de turistas e o número de menores que viajam sem a presença dos pais. “O problema é que nem todas enviaram essas informações”, declarou o deputado.

Outra oitiva que gerou polêmica foi a de uma menina de 17 anos, mas que diz ter sofrido abuso aos 13 anos. Conforme o depoimento da mãe da vítima, o agressor teria sido um dono de motel de Rio Branco. A menor revelou ainda que o empresários mantinha câmeras nos quartos do motel. Os vídeos eram assistidos em sessões com amigos do acusado.

De acordo com o depoimento da vítima, ela e uma amiga - esta também acusada de prostituição na Espanha - teriam falsificado um exame de gravidez em uma lan house para poder fazer chantagem ao empresário. O fato foi denunciado à Justiça.


Pianko - O assessor especial do governo Francisco Pianko ainda não tem data marcada para ser ouvido na CPI. Mais uma testemunha será ouvida e só depois o depoimento do acusado será marcado.

Outros acusados também serão levados à CPI quando todos os acusadores forem ouvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário