terça-feira, 24 de novembro de 2009

DR. BÁBA, O HOMEM QUE TRINCOU A FPA



Presidente do PCdoB em Feijó conta como conseguiu desarticular e rachar a Frente Popular para eleger um candidato das oposições.

Quem não vive os bastidores da política acreana nem faz idéia de como se deu a eleição de Dindin para a prefeitura de Feijó. E nem imagina o que aconteceu 20 dias antes do pleito. Aquela velha mania dos ditadores decidir em nome do povo foi colocada em prática pela alta cúpula da Frente Popular do Acre e o que se viu foi uma resposta imediata: a derrota provocada pelo próprio fogo amigo.

Quando todos silenciaram, surgiu um grito de revolta dentro do grupo de aliados: "Se é para ganhar matando nossas lideranças, vamos à luta contra aqueles que não nos respeitam e nem escutam o clamor da sociedade", disse o jovem médico conhecido como doutor Bába, até então presidente de um dos principais partidos da Frente Popular, o PCdoB.

A partir dai foi decretado o racha. O levante do doutor Bába desintegrou aquela que parecia a mais sólida aliança partidária entre PT, PP, PSB e PCdoB.

O médico que já foi vice candidato à prefeitura de Tarauacá, mas perdeu nas urnas para Wando Torquato, diz que os militantes do PCdoB de Feijó não aceitaram as imposições e decidiram radicalizar. "Nós tínhamos muitos nomes que poderiam representar a Frente Popular em Feijó, mas eles [Governo e Frente Popular] decidiram tudo sem conversar com a militância e os partidos. Eles colocaram na disputa uma pessoa [Erlandes] que a população não conhece e que não tem representação política nenhuma, por isso decidimos manter a sigla na chapa, mas trabalhar contra a imposição sem medo", conta Bába.

Entre os insatisfeitos com a FPA, estava a maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Feijó que representavam o governo. "Agora você imagine uma coligação dessas, que na eleição passada dos nove vereadores candidatos conseguimos eleger oito, e hoje desses oito, apenas um deles ainda continua do lado de lá; isso mostra a fragilidade que eles estão. O vereador "Pelado" que representa o governo teve mais de 900 votos na última eleição e abertamente apoia Dindin, junto com os vereadores Eurico, Marleide, Zé Carlos entre outros que estão do nosso lado", revelou o doutor Bába.

Doutor Bába afirma que até indígenas comunistas se revoltaram com as imposições da cúpula da FPA. "As nossas lideranças indígenas que estimamos em 1.300 pessoas aptas a votar, a gente acredita que pelo menos 800 deles também apoiaram e votaram com o Dindin, assim como maioria dos nossos filiados".

O clinico geral diz que pediu afastamento da função de presidente do PCdoB, para fazer campanha na oposição, afirma que não tem medo de ser expulso e nem vai sair da sigla, muitos menos se filiar em outra agremiação.

QUEM É DOUTOR BÁBA - Rosaldo Aguiar (FOTO), mais conhecido como Dr. Bába, é clinico geral natural de Tarauacá, que mora e trabalha em Feijó há bastante tempo onde realiza atendimentos na rede básica de saúde. Há 10 anos na Frente Popular, Dr. Bába assumiu a presidência do PCdoB há quatro meses. O partido tem 540 filiados na cidade.

O QUE DISSE O PT - Para Leonardo de Brito, presidente do PT regional, e representante da coligação governista, houve um esfacelamento dos partidos que compõem a cúpula da FPA. "Desavenças internas prejudicaram Frente Popular", disse o presidente. Segundo Leonardo o partido recebeu a vitória de Dindim com surpresa pela vantagem de quase mil votos.

Por Francisco S. Costa


Nenhum comentário:

Postar um comentário