sábado, 24 de outubro de 2009

AMAZÔNIA VIROU PORTA DE ENTRADA PARA ARMAS ILEGAIS NO BRASIL, DIZ POLICIA FEDERAL


A Amazônia virou porta de entrada para armas ilegais no Brasil, de acordo com a Polícia Federal. Os traficantes de armas que atuam na Amazônia recrutam moradores do Pará para transportar os carregamentos. Segundo a Polícia Federal, as armas vêm do Suriname e seguem em mar aberto até chegar ao Pará, onde são usadas por quadrilhas em assaltos a bancos que apavoram os moradores do interior do estado.

Mas, segundo a polícia, parte dos armamentos segue para o Sudeste do país.

- São fuzis de assalto de toda a ordem, desde AK-47 até fuzil americano - aponta o delegado da Polícia Federal Anderson Oliveira.

Em Belém, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, pediu uma atuação em conjunto dos estados e do governo federal contra os crimes.

- A importação de armas se dá a partir das fronteiras, normalmente, e o tráfico de drogas também. É preciso que haja uma articulação dos estados fronteiriços, da própria União, da Polícia Federal, e - eventualmente - das Forças Armadas. Todas elas têm que se articular para combater esses crimes - avaliou o presidente do STF Gilmar Mendes.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, que esteve esta semana no Pará, disse que o governo federal está adotando medidas para combater o tráfico de armas na Região Amazônica.

- A Polícia Federal está estruturando grupos específicos de controle de fronteira. Estamos estruturando o Programa Avante de viação aérea não-tripulada que vai fazer o controle de toda a Amazônia e das fronteiras - afirmou o ministro.

A Organização das Nações Unidas (ONU) também está preocupada com a Amazônia e anunciou que vai instalar na região um escritório para desenvolver programas de combate a crimes como o tráfico de drogas e armas.

- É uma questão de soberania nacional, de evitar que o crime organizado se instale e comece a ameaçar o funcionamento do estado de direito - diz o representante da ONU Bo Mathiasen.

O representante da ONU disse ainda que não basta treinar policiais e militares para vigiar melhor a fronteira. É preciso combater também outro problema: a corrupção.

- O grande problema do crime organizado é também o poder de corromper. É muito dinheiro que está envolvido e, uma vez que você tem corrupção, você tem o poder de compra através da corrupção. O dinheiro, infelizmente, às vezes fala muito alto.

O GLOBO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário