quarta-feira, 30 de setembro de 2009

PC DO B PODERÁ PERDER 3 MIL FILIADOS

Indígenas descontentes com a Frente Popular estão abandonando o partido

Cerca de 10 indígenas vão protocolar nesta semana no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), pedido de desfiliação do Partido Comunista do Brasil (PC do B/AC). No partido estão lideranças como Edvaldo Magalhães – deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa; Perpétua Almeida – deputada federal e Moisés Diniz – líder do governo na Aleac.

Os ex-filiados, alegam que estão desmotivados com a Frente Popular, assim como a senadora Marina Silva que deixou o Partido dos Trabalhadores (PT) e migrou para o Partido Verde (PV) e, o deputado federal Henrique Afonso que também está trocando o PT pelo PV. Os indígenas dizem que não vão entrar na dança das cadeiras por uma sigla, e “querem apenas se afastar de quem não tem compromisso social com as aldeias”. Algumas fichas de desfiliação foram encaminhadas para o TRE/AC, nesta quarta-feira, 30, em seguida o partido será comunicado oficialmente. Caciques, pajés e demais lideranças das etnias Apurinã, Yawanawá, Shanenawá, entre outros, das cidades Feijó, Boca do Acre no Amazonas, Tarauacá estão aderindo.

O movimento de desfiliação também é uma resposta ao PC do B nacional, que por meio do seu presidente, deputado federal Aldo Rebelo (SP), manifestou-se contrário a demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol. Aqui no Acre, os indígenas não encontraram apoio das principais lideranças do partido, referente a decisão do Superior Tribunal Federal (STF).

“Nos acompanhamos a política indígena nacional, e o presidente do PC do B foi contrário a homologação da Raposa Serra do Sol, da terra indígena Macuxi em Roraima. A decisão dele é o eixo de todos os comunistas do Brasil. Se foi assim lá, imagina com a gente que tem terra indígena menor”, declarou um indígena que foi comunista durante 23 anos, ajudou a fundar o partido em Tarauacá, e agora assina desfiliação.

O PC do B do Acre, tem pelo menos 3 mil indígenas filiados, se o efeito dominó pendurar, todos deverão sair da sigla. Os ex-comunistas dizem que agora querem eleger seus próprios parlamentares, sem interferência do homem branco. No estado hoje existem pelo menos cerca de 17 mil índios, sendo que 90% são eleitores, sem contar com as regiões do Sul do Amazonas e noroeste de Rondônia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário