quarta-feira, 10 de junho de 2009

OPINIÃO: O JUDICIÁRIO E A CORRUPÇÃO

A sensação de impunidade está no ar.


Paulinho Almeida (PT), prefeito de Plácido de Castro acusado de compra de voto; Nilson Areal (PR) – prefeito de Sena Madureira e seu vice, Jairo Cassiano (PMN), denunciados à justiça também por compra de voto e abuso de poder econômico tiveram sua inocência decretada pela Justiça Eleitoral Acreana.


Caiu por terra as campanhas contra a corrupção do TSE e TRE, e questiona-se a ética e a conduta dos magistrados favoráveis a decisão. A desembargadora Eva Evangelista, votou pela absolvição de Paulinho. Foi a mesma magistrada que disse "amém" para os desmandos de Areal e devolveu o cargo para o prefeito, antes tirado pela juíza Thaís Queiroz Borges de Oliveira Abou Khalil, responsável pela vara criminal da comarca de Sena Madureira, com prorrogação de jurisdição à comarca de Santa Rosa do Purus.


Mas, a população já sabia que as acusações ficariam impunes, com base nos fatos noticiados pela imprensa comprada e corrupta. Na semana das votações e apreciação das denúncias, ressurge do nada numa TV local, Jorge Viana, ex-governador do Acre defendendo seus comparsas e enquadrando o TRE à sentença favorável aos aliados da Frente Popular. Dias depois, Binho Marques – atual governador do Estado, também bateu palmas para Paulinho Almeida, um de seus favoritos.


O critico Salomão Matos, observador direto do Bairro Mocinha Magalhães dos acontecimentos na terra de Galvez, relata sua impressão sobre os recentes fatos.


LEIA:


“QUE A JUSTIÇA SEJA CEGA...AMÉM”


Por Salomão Matos


Observando os acontecimentos dos últimos dias e as ações da Corte Maior do Estado, de como os poderes se protegem, na forma “um bate e outro assopra” vejo que hoje, a justiça brasileira passa por um retrocesso histórico. E na verdade uma volta ao passado quando na existência do estado de natureza e a insensatez humana, no mais exato sentido literal da palavra.


A impressão que fica, é que as leis, ao contrário da venda que cerra os olhos da "estátua representada", só enxerga quem quer.


A existência desse corporativismo mútuo entre os pares coloca o pobre, o povo, que de fato trabalha e paga os impostos e servi-los. É a maquiagem perfeita para o funcionamento de um sistema demagogo que oprimi e engana a base de pão e circo no meio de um estado falido.


Esse povo... acaba servindo apenas como bode expiatório, massa de manobra e bucha de canhão, nas mãos de homens que em nome da democracia tem como principal bandeira, as vestes da ganância e da intolerância com os que os colocaram no domínio.


Relembrando os tempos da faculdade, de como a política , a ética e as leis eram discutidas , me vem a mente o genial - Thomas Hobbes - que em seu célebre livro [LEVIATÃ], descreve com perfeição a criação dos princípios e fundamentos das leis , hoje fadadas ao esquecimento. As mesmas leis que deveriam proteger de forma igualitária, sem distinção de raça, condição social ou cores partidárias e agremiações.


Penso fosse vivo, Hobbes, com certeza estaria com uma taça cheia de cicuta na mão direita a ponto de se embriagar para a morte, a ver no que se tornara a sua máxima obra.


Ou mesmo, como diria Ariano Suassuna no livro, O Auto da Compadecida: “se Jesus soubesse da canalhice que isso tudo iria se transformar, á época, teria sacudido aquela cruz das costas e teria fugido pra morrer em paz”.


Em nome de Deus ôh pátria amada Brasil!!!


“Adoremos na estrela altaneira, o mais belo e o melhor dos faróis” AMÉM!!!


* Salomão é produtor de Jornalismo TV ACRE. (Emissora da Rede Amazônica de Televisão, afiliada TV Globo).


salomao.matos@gmail.com

2 comentários:

  1. Toda razão a vocês... nada mais a dizer.

    ResponderExcluir
  2. Toda razão a vocês... Tenho a impressão que não adianta nada, FALAR. Nada mais a declarar.

    ResponderExcluir