quarta-feira, 17 de junho de 2009

COMANDO DA PM PREPARA EXPULSÃO DO MAJOR ROCHA DA CORPORAÇÃO

Governador Binho Marques e o Comando da PM ficaram desgastados e criaram fato político negativo com as punições ao oficial .

A seqüência de fatos envolvendo o Major Rocha, deixa claro o desejo do Comando da Policia Militar de ter bem longe de seu quadro de oficiais, um homem considerado perigoso e que estaria afrontando seus superiores.

Primeiro foi o manifesto do dia 4 de maio por melhores salários e condições de trabalho, depois tiveram as punições judiciais inclusive com aplicação de multas, em seguida a prisão administrativa mas em condições de um bandido considerado perigoso.
Agora teve uma passeata que marcou a saída do Major do aquartelamento e surgiram mais punições.

Rocha está proibido pelo comando de falar com a imprensa. O oficial responde mais de dez processos judiciais impetrados inclusive pelo comando da PM, alegando que o militar teria violado diversos itens do regimento disciplinar da corporação. Na saída do alojamento onde ficou durante cinco dias, o Major, foi intimado a comparecer na sala do Coronel Romário Célio para dar explicações sobre a carreata feita pelos militares, em apoio ao colega.

Romário Célio, determinou imediata abertura de mais um Inquérito Militar, contra Rocha, alegando que ele teria incitado a carreata. Pelo número de processos judiciais que acumulados Major Wherles Rocha, virou um inimigo para o Governo do Estado e o Coronel Célio. A associação dos militares (AME), já declarou que todas acusações foram "plantadas" para prejudicar o oficial, que com este histórico jamais poderia receber promoção de carreira.

Nos corredores do quartel da PM, os oficiais mais antigos e até os novos já têm quase certeza que Rocha será levado ao Conselho Militar com alegação de que a conduta dele não seria a mais adequada para um militar permanecer na corporação. O resultado disso tudo, seria o pedido de expulsão do Major da PM, que seria feito pelo comandante em chefe, o que pode ser solicitado a qualquer momento, principalmente com o argumento de que o militar tem uma pilha muito grande de processos administrativos e jurídicos.

Um comentário:

  1. É inadimissível aceitar que por ter vários processos algém possa ser expulso do funcionalismo público. Isso não é condição para expulsão. Ele pode ter até 1000 processos, mas, em nenhum deles houve transito em julgado. Ele está de acordo com o direito brasileiro no estado de inoscência. Jente! O hildebrando fez o que fez e ainda recebe proventos de coronel. Outros membros do "esquadrão da morte" são protegidos e sustentados pelo próprio Estado, sem falar das milhares de falcatruas políticas acobertadas pela impunidade. E o Rocha só busca melhores condições de trabalho para PM, fato que forças obscuras desejam (de forma arbitrária diga-se de passagem)punir com a maior hediondes possível. Acredito que essa novela só vai acabar mesmo em 2010, o ano da mudança!

    ResponderExcluir