terça-feira, 26 de maio de 2009

COMANDO DA POLICIA MILITAR PROMOVE OFICIAIS

Oficiais promovidos ao posto de major da Polícia Militar

* Por Ricardo Bessa

A Polícia Militar do Acre (PMAC) promoveu 12 oficiais durante solenidade realizada, nessa segunda-feira, em frente ao quartel da PM. A solenidade é parte da comemoração dos 93 anos da corporação, e contou com a presença de várias autoridades, inclusive com a do governador em exercício, César Messias, e da Secretária de Segurança Pública, Márcia Regina.

O Comandante Geral da PM, Coronel Romário Célio, diz que as promoções realizadas contribuem para um melhor serviço prestado a sociedade por parte da corporação e afirmou lamentar o fato de não ter ocorrido outras promoções. “Isso engrandece a corporação, porque traz um policial mais motivado, que certamente vai prestar um melhor serviço a sociedade. E, lamentamos o fato de não haver outros policiais promovidos porque temos excelentes oficiais na Polícia Militar e outras pessoas poderiam ter sido promovidas, mas esses se destacaram”, disse o Comandante.
Os policiais promovidos ocupavam os postos de tenente e capitão, caracterizados como oficiais subalternos e intermediários, respectivamente. E, a partir da promoção, os tenentes adquirem a patente de capitão e os capitães passam a ser majores.

Dentre os promovidos estão o capitão Marcos Kimpara, primeiro colocado na ordem de antiguidade para promoção a major, além dos capitães Atahulpa Batista e Luciano Dias, mais modernos de acordo com o jargão policial. A antiguidade, ou ordem de precedência, se dá pela data de ingresso na corporação, ou a colocação nos cursos de formação.
Portanto, os policiais que ingressaram primeiro e os que foram primeiros colocados nos cursos de formação, das suas respectivas turmas, são mais antigos que os demais. Kimpara foi promovido atendendo o critério da antiguidade, por ter sido o primeiro colocado no curso de formação ao ingressar na PM. No entanto, os outros dois capitães foram promovidos segundo o critério do merecimento, e são mais modernos que a maioria dos demais.

Para Luciano Dias, as promoções representam o reconhecimento do trabalho e pressupõe uma maior responsabilidade para os promovidos. “Essa promoção representa o reconhecimento de um trabalho que estava sendo feito. E se confunde também com a responsabilidade que a gente vai ter a partir de agora”, disse o recém promovido major.

Processo de seleção - O critério merecimento é utilizado nas promoções a partir do posto de capitão, em que o Governador opta pelos oficiais a serem promovidos em uma lista enviada pela Comissão de Promoção de Oficiais da PM. Sendo assim, é obrigatório apenas um oficial atender o critério da antiguidade.O Major Paladino, um dos oficiais que está no topo da lista de antiguidade, publicou nota criticando a utilização desse critério para as promoções. Segundo ele, nesse processo o governador acaba escolhendo de acordo com a sua vontade o oficial a ser promovido.

“Este Oficial PM para esclarecimento ao público, além de ser o mais antigo é o 1º colocado também no critério de merecimento, com conceito sintético “EXCELENTE”, conceito esse, superior a do Oficial PM que está sendo promovido”, desabafa o major.

Romário Celio defende que, os critérios ultilizados para a promoção privilegiam os oficias que se destacam. "Os que foram promovidos se destacaram, não significa que os que não foram promovidos não tenham destaque ou não tenham mérito. No entanto, houve um processo de seleção", disse Célio, numa clara referência a indignação de alguns oficiais que não foram promovidos.

Segundo informações de colegas do major Paladino, ele já pegou “cangalha” por seis vezes. O termo "cangalha" é usado na gíria policial quando alguém mais moderno é promovido no lugar de outro mais antigo.A promoção dos oficiais superiores, que são os oficiais com postos a partir de major, só ocorrerá na sexta-feira. No entanto, a lista dos promovidos já foi anunciada pelo governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário