domingo, 31 de maio de 2009

BIENAL DA FLORESTA DO LIVRO E DA LEITURA


Livros e literatura ao alcance de todos. A maior festa literária do Acre é promovida em praça pública e promete estimular o bom gosto pelos livros de centenas de visitantes

A capital do Acre, também está fazendo um ensaio durante 10 dias que pode se aproximar da virada cultura paulista, se no futuro os organizadores capricharem e fizerem atividades mais ousadas, neste mesmo evento. Rio Branco, de olho no turismo realiza a I Bienal da Floresta do Livro e da Leitura, a ser realizada de 29 de maio a 7 de junho, no centro da cidade. A população terá acesso a livros com redução de até 20% do que é praticado no mercado local e ainda atividades culturais, e uma recheada programação onde os leitores terão contato com escritores de vários estados.

A praça da revolução onde está a estatua de Plácido de Castro símbolo da história dos heróis que lutaram para o Acre não ser território boliviano, foi transformada numa gigantesca biblioteca ao ar livre. Crianças e os adultos caminhavam entre diversas obras e seus autores. Para muita gente é a chance de tocar em peças dos imortais da literatura e seus textos consagrados.

Editoras de todo o pais montaram 40 estandes, onde o público encontra as mais diversas obras. Na programação estão painéis, oficinas e conversas com escritores, mesas redondas, shows musicais, exibição de filmes relacionados à literatura. Tudo isso acontecerá nos espaços localizados no entorno da Praça da Revolução entre eles o auditório da Prefeitura de Rio Branco, do CEBRB, da Biblioteca Pública, do Sesc e a Tenda Bolha, espaço construído especialmente para as crianças terem acesso a internet livre em 14 computadores.

Neste sábado, segundo dia de atividades, dezenas de pessoas saíram de casa para acompanhar a programação com direito a indicações de leitura pela rádio Aldeia, o som é transmitido direto para o local do evento. Durante o fim de tarde, Manoel Paim, Pedro Vicente (livreiros) e Clodomir Monteiro da Silva, presidente da Academia Acreana de Letras, falaram ao público presente no auditório da Biblioteca Pública sobre a importância de um dos históricos livreiros do Acre, o falecido Arthur Jerosh. Já à noitinha, teve um grupo de chorinho que animou com música ao vivo.

CONVIDADOS – Entre os escritores nacionais convidados está Celso Sisto que já publicou: Ver-de-ver-meu-pai, Assim é Fogo!, Beijo de Sol, Mas Eu Não Sou Lobisomem!, O Dono da Voz, O Encantador de Serpentes, Porque na Casa Não Tinha Chão, O Pequeno Cantador, Quase que Nem em Flor, Enquanto eles Dormem, Amor Meu Grande Amor, Anjo de Papel, Francisco Gabiroba Tabajara Tupã, A Noiva do Diabo, Vó que Faz Poema, Ora, pitombas!, Emburrado! e O Cocô do Cavalo do Bandido. Na Bienal da Floresta, Celso Sisto comandará as oficinas de Contadores de Histórias.

Homero Fonseca, publicou: Roliúde, Pernambucânia – O Que Há nos Nomes das Nossas Cidades, Pequeno Teatro da Vida, A Arte de Viver Teimosamente, A Vida é Fêmea e Viagem ao Planeta dos Boatos.

Raimundo Carrero, já publicou os livros: A História de Bernarda Soledade – A Tigre do Sertão, Somos Pedras que se Consomem (pelo qual recebeu o prêmio de Melhor Romancista do Ano , da Associação Paulista de Críticos de Artes e o Prêmio Machado de Assis, da Biblioteca Nacional), As Sombrias Ruínas da Alma (pelo qual recebeu o prêmio Jabuti) e em 2003 lançou Ao Redor do Escorpião... Uma Tarântula.

Cláudio de Oliveira, já tem no seu currículo os livros: O vagalume, O Que Vier Eu Traço, Já Era Collor, (em co-autoria com os cartunistas potiguares Edmar Viana, Everaldo Lopes, Emanoel Amaral e Ivan Cabral), Pittadas de Maluf, Lula - Ano Um e Pizzaria Brasil, livro em que reúne os trabalhos de seus 30 anos como chargista político.

Também participam da Bienal da Floresta os escritores Fernando Monteiro, Alexei Bueno, Gilberto Mendonça Telles, Márcio Souza, João de Jesus, Jorge Tuffic, José Ignácio de Loyolla, Luiz Galdino, Cláudio Aguiar, Hidelberto Barbosa, Francisco Dantas, Maria Lúcia dal Farra, Marcos Accioly, Nelson Patriota, José Castilho Marques Neto, Antonio Roberto Bertelli, Fábio Lucas, Luis Ruffato e Francisco Gregóriom, além de vários autores regionais.

A expectativa é de boas vendas para os expositores, mas também que as pessoas entendam que os livros abrem caminhos para erradicar a violência, constroem cidadania contribuem para diminuir as desigualdades sociais.

Na foto, Rafaela da Silva, 9 anos, viajando na leitura.

VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO EVENTO, CLICANDO AQUI:

Nenhum comentário:

Postar um comentário