quarta-feira, 29 de abril de 2009

DIRETOR DE SEGURANÇA DO IAPEN DO ACRE TEM FICHA SUJA NO PARANÁ


Robério Bicheri (foto) se envolveu num escândalo de corrupção ao transportar dinheiro sujo na campanha eleitoral de 2006 em Londrina. No Acre será acionado na justiça por ter abusado da autoridade e teria sido contratado de maneira irregular para a trabalhar no Governo.

Robério Bicheri, ex-motorista do PT de Londrina, atual Coordenador de Segurança do Instituto de Administração Penitenciário do Acre (IAPEN) é um cidadão muito famoso. Em 2006, estourava em Londrina, no Paraná, um esquema de caixa 2 durante a campanha do então prefeito Nedson Micheleti (PT), quando Bicheri entrou no meio da história. De acordo com denúncia do Ministério Público do Estado dp Paraná, o ministro do Planejamento de Lula, Paulo Bernardo, teria financiado a campanha do petista com recursos não-declarados. Ambos teriam gasto R$ 6,5 milhões e declarado apenas R$ 1,3 milhão.


A denúncia surgiu na Justiça Eleitoral, quando a assessora financeira do PT, Soraya Garcia fez as revelações. O MPE/PR pediu então a quebra de sigilo bancário de 22 pessoas do PT .

O atual diretor de segurança do IAPEN do Acre, Robério Bicheri, que trabalhava como motorista do Partido dos Trabalhadores (PT) na campanha de reeleição do prefeito Nedson Micheleti, era quem fazia a coleta de recursos e também fazia o recolhimento de assinaturas de vários cidadãos que apareciam como doadores.

Na Policia Federal, durante as investigações, Bicheri sustentou a denúncia da assessora financeira e declarou que recolheu e transportou dinheiro vivo no apartamento de um assessor do Ministro Paulo Bernado, Zeno Minuzo.

Para a revista ISTOÉ, Robério confirmou tudo que falou a PF: “Fui duas vezes lá, em setembro e em outubro de 2004, dirigindo o carro do Fábio Reali, assessor do prefeito. Estacionei e o Fábio voltou com 20 envelopes, todos com nomes de coordenadores e vereadores em campanha. Era coisa de uns R$ 50 mil. Ele botou dois envelopes no porta-luvas e o resto debaixo do banco. Ele disse que dessa forma, se fôssemos roubados, levariam menos dinheiro.”

MAIS ACUSAÇÕES CONTRA DIRETORES DO IAPEN – Pouco tempo depois Bicheri foi nomeado como agente penitenciário da casa de custódia e do presídio do PR.

Agora quando se passaram três anos do envolvimento dele no esquema eleitoral do PT, foi nomeado para assumir a direção de segurança dos presídios do Acre. A nomeação publicada no Diário Oficial, tem o aval do governador Binho Marques e da Secretária de Justiça Márcia Regina de Souza.

Mal chegou e os agentes penitenciários já estão pedindo a demissão de Robério. Ele teria sido contratado de maneira irregular para trabalhar em presídios no estado, segundos os agentes. Será pedida exoneração também de Vendrami Cancian, um dos diretores do IAPEN. Segundo os carcereiros existe lei federal determinando que o sistema prisional dos estados seja formado por pessoas capacitadas e com formação superior em áreas específica. Critérios, que segundo os carcereiros, o governo não teria respeitado para nomear os diretores.

Mas as acusações não param por ai. O agente penitenciário, Adriano Marques de Almeida, 27, registrou queixa crime contra Robério Bicheri e Cristiano Vendramin Cansian – diretores do Iapen, no dia 14 de abril às 16:50 h, na 7ª Unidade de Segurança Pública e arrolou no mínimo três testemunhas. Segundo consta no Boletim de Ocorrência, Adriano trabalhava no presídio Francisco de Oliveira Conde e já tinha sido submetido às revistas de praxe. Ao perceber que a unidade prisional recebia a visita de inspeção de uma Comissão do Poder Judiciário, tentou entregar um relatório constando diversas irregularidades dos presídios. Mas foi cercado por dois agentes da Gerência de Inteligência do Iapen acompanhados de Robério Bicheri – responsável pela segurança. O agente relata que foi intimidado e expulso do local para não entregar os documentos.

De acordo com a ocorrência, Robério Bicheri disse que Adriano Marques não poderia ter se afastado do local de trabalho para entregar o manifesto. O agente penitenciário pediu que lhe fosse entregue normativas de proibição, o que não ocorreu. Segundo o boletim, a cena foi presenciada pelo diretor da unidade, Vendramin Cancian. A partir de então, Adriano vem sofrendo represálias e ameaças no seu local de trabalho. Agora o caso será levado para os tribunais.

Só para relembrar a postura de trabalho dos diretores, em março deste ano, ac24horas, revelou fotografias mostrando presos que eram transportados por agentes penitenciários se nenhuma segurança. Vendramin Cancian, teria assinado a Ordem de Serviço n. 006/2009, diretor do CPUP – FOC, no dia 19 de fevereiro deste ano, abrigando agentes a acompanharem os prisioneiros sem nenhum tipo de armamento. Ordem de Serviço expedida pelo diretor do IAPEN obriga um, dos três agentes que fazem a escolta, a viajar sozinho na carroceria de um caminhão junto com 15 prisioneiros.

Após várias tentativas, a reportagem de ac24horas, conseguiu falar apenas por telefone com Vendramin Cancian: "As pessoas podem falar o que quiserem de mim, estou tranquilo e vou continuar fazendo o meu trabalho de acordo com as orientações que recebo. Eu não vou comentar esse disse me disse", declarou Cancian.

Sobre as acusações envolvendo Robério Bicheri, o diretor afirmou que desconhece e não será motivo para afastar, ou, demiti-lo. "Não me interessa a vida pessoal de Robério, ele é um excelente profissional", finalizou o diretor geral do Iapen. Robério Bicheri, não foi localizado para comentar as acusações. O governo do estado, diz desconhecer o histórico dos diretores e também silenciou diante da conduta dos dois servidores públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário