terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

CIRCO ELEITORAL, O MICO DO ANO


Apesar de não estarmos na China, e muito menos nosso calendário ser chinês, 2008, é o ano do mico.
Para os que acompanham ou mesmo não se interessam por campanhas eleitorais, fiquem sabendo que neste ano veremos e seremos testemunhas de fatos meios esquisitos e um pouco bizarros, por parte dos candidatos.
Como sempre todo ano de eleição acompanhamos todos os tipos de políticos caminhando pelas ruas pedindo voto ao povo, é justamente neste momento onde as coisas começam a ocorrer.
Na busca pelo voto os candidatos se sujeitam a coisas mais diversas, aprontam a maiores aberrações para encantar o eleitor, na verdade pagam seus micos que no futuro não foram de graça.
Só para se ter uma idéia na época eleitoral, são do povo e durante suas caminhadas falam, distribui abraços, acenam com um sorriso de orelha a orelha para todo mundo, até pra quem não está nem um pouco se importando com sua presença.
Espalham simpatia, demonstram felicidade e faz cena para parecer sempre de bom humor.
Fazem discursos para qualquer aglomerado de gente e simulam está sempre atento a ouvir o que as pessoas têm a dizer.
Durante um ano ficam a mercê do povo e então tentam agradar a todos distribuindo coisas esquisitas e bizarras como: chapa dentaria, tampa de caixas de água, os famosos santinhos, lixa de unha, caneta, pente, blusas com seus rostos com muita maquiagem; alguns tem certas ajudinha de programas de computadores e seus máster para fazer suas criações holywoodianas.
Visitam comunidades carentes e prometem “Deus” e o mundo além de abraçar todos, não importando se é novo ou velho, grande ou pequeno, se estão sujo ou não.
Os candidatos gostam muito de abraçar crianças, pelo menos na frente das câmeras, basta verem os jornalistas que agarram logo uma criança.
Às vezes o guri estar todo sujo e tem as mais diferntes micoses, mais eles nem ligam, mesmo às vezes com seus ternos engomados e limpinhos, e fazem questão disso.
A admiração é tamanha que em outros dias quando as pessoas realmente precisam todos somem sem deixar rastro algum.
Ou seriam eles seguidores de Bond, James Bond?
Bom, passado às eleições, só os vemos pela TV, sempre envolvidos em escândalos por usar indevidamente dinheiro público.
Foi assim como o mais recente caso dos cartões corporativos utilizados para pagar freeshop, tapioca, borracharia e etc.
Já aqui no estado viagens de barco. Pensando bem até que vale a pena, mais não vamos sair do muito do nosso foco. Acidentes também acontecem como queda de palanques e pessoas arremessarem coisas durante os comícios, vaias, por exemplo, da oposição; enfim, maior zona durante as campanhas eleitorais.
Mais será que isso acontece apenas aqui?
Creio que não, basta acompanhar os jornais e ver o que os gringos fazem pra chamar a atenção.
O certo é que ano de eleição, aqui ou em outro lugar, os candidatos põem os pés na estrada, em busca da mina de ouro, o voto do eleitor. Para encontrar o tesouro deles, fazem de.
A prática pré-eleição reflete a banalidade da pós-eleição. Com o tempo acabam não tendo vergonha de se expor e, não ligam de serem acusados pelos maracutais, foi assim no "mensalão", que parece terminar mesmo em "pizza".
Nunca esqueçam que seu voto vale muito, eles sabem, e por isso que se sujeitam a fazer qualquer coisa pelo seu voto.
Vote consciente, pois, é o futuro de todos que estará em jogo, sempre! Não queiram fazer parte desse zoológico com espécies raras e ferozes que devem se perpetuar por muito tempo no mundo animal.
Léo Ferreira - acadêmico jornalismo

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

INTERNET BANDA LARGA NO JURUÁ


Em março, a Brasil Telecom iniciará a instalação dos cabos de fibra ótica entre as cidades de Tarauacá e Cruzeiro do Sul. E, já no próximo verão, as obras se darão no trecho Sena Madureira e Feijó. As garantias foram dadas por um grupo de diretores da empresa à deputada federal Perpétua Almeida, no último fim de semana, durante reunião convocada pela própria empresa, que reconheceu os sérios problemas provocados pela ausência de sinal na região. As cidades e vilarejos do entorno, situadas às margens da BR-364, dentre elas Manuel Urbano, também seriam contempladas com o serviço. A Brasil Telecom pediu prazo de 10 meses para solucionar o problema nas cidades mais populosas do Juruá, com a proposta de aumentar pontos de internet em quantidades compatíveis com a demanda de cada localidade. O gerente da filial Acre-Rondônia, Vildemar Xavier, disse que as condições geográficas adversas impossibilitaram, até então, o início das obras. Para ele, não há condições de a Brasil Telecom realizar manutenção preventiva na rede enquanto não houver condições de tráfego pela Br-364. “Modificamos as nossas regras e a atenção que daríamos ao Juruá, considerando que a região também está sujeita a descargas atmosféricas”, argumentou Vildemar Xavier. A deputada compreendeu as dificuldades levantadas pela empresa, mas não entrou em detalhes nas questões técnicas. No entanto, ela exigiu o cumprimento do prazo solicitado pela Brasil Telecom. “O Juruá é diferente. É isolado e sofre com isso. Minha obrigação é cobrar, denunciar e exigir melhorias. É por isso que tenho mandato”, disse Perpétua Almeida. A empresa garantiu ainda que ainda este ano levará telefonia móvel aos municípios de Capixaba, Marechal Thaumaturgo, Rodrigues Alves, Jordão e Porto Valter. Os demais deputados que representam o Juruá em Brasília – Gladson Cameli, Fernando Melo, Henrique Afonso e Ilderley Cordeiro – confirmaram presença na audiência com os diretores da Anatel, na manhã desta terça-feira, em Brasília. A reunião foi convocada pelo gabinete da deputada Perpétua Almeida, e terá como pauta central as dificuldades de comunicação por celular especialmente em Cruzeiro do Sul. A empresa Vivo é a mais criticada pela imprensa e a população locais.


Assem Neto, de Brasília