quarta-feira, 26 de setembro de 2007

GEOGLIFOS É NOSSO

Geoglifos: Patrimônio do Acre e da Humanidade
Os geoglifos do Acre ocorrem em áreas em processo de acelerada ocupação antrópica notadamente expansão urbana, fazendas para criação de gado, rodovias e linhas de transmissão de energia o que exige imediata ação dos poderes constituídos para evitar sua parcial ou total destruição. Como não valorizamos aquilo que desconhecemos e não se pode proteger e preservar aquilo que não se conhece, são necessários estudos urgentes para verificar o status quo do grau de conhecimento, mesmo que parcial, dos geoglifos do Acre. Uma primeira ação poderia ser a de mapear e declarar os geoglifos patrimônio do Estado do Acre. Isto caberia ao Governo do Acre, considerando que os geoglifos ocorrem em vários municípios e pelo menos em Acrelândia, Plácido de Castro, Senador Guiomard, Capixaba, Xapuri e Rio Branco. Outra ação política poderia ser um trabalho conjunto do Estado do Acre e IPHAN para declarar os geoglifos como Patrimônio do Brasil.
Os geoglifos adquirem tamanha dimensão que verificando as condições dos critérios de seleção para a inclusão de um sítio na lista do Patrimônio da Humanidade, notamos que os Geoglifos do Acre preenchem ao menos quatro requisitos estabelecidos pela UNESCO:

1- Os geoglifos representam obra-primas do gênio criativo humano;
2- Os geoglifos mostram um testemunho excepcional de uma tradição cultural desconhecida e desaparecida;
3- Os geoglifos são os vestígios de um conjunto arquitetônico que ilustra significatitvo estágio da história humana;
4- Os geoglifos são exemplos destacados de uso da terra, representativos de uma cultura desaparecida e estão vulneráveis pelos impactos de mudanças irreversíveis da paisagem acreana.

Como basta um critério para que a proposta seja encaminhada, os geoglifos do Acre, poderão ser candidatos para inclusão na lista de Patrimônio da Humanidade.
Se o Centro Mundial de Patrimônio da UNESCO considerar que os vários geoglifos que ocorrem nos arredores da cidade de rio Branco, possuem importância cultural de alto nível para a História Universal os mesmos poderão ser incluidos na agenda que estuda as possibilidades de declarar os geoglifos Patrimônio da Humanidade.
Este é um processo complexo, que envolve a visita in loco de especialistas internacionais para avaliar se os geoglifos merecem ou não o Certificado de Patrimônio da Humanidade.
Para que os Geoglifos do Acre possam ser indicados para inclusão na lista da UNESCO:

1-Primeiramente será necessário seu reconhecimetno como Patrimônio Cultural do Acre – isto requer uma ação coordenada de estudiosos, pesquisadores e dos poderes legislativo e executivo do Estado do Acre;

2-Próximo passo reconhecer como Patrimônio Cultural do Brasil - isto requer uma ação coordenada de estudioso, pesquisadores, do poder Executivo do Estado do Acre, do IPHAN e do Ministério da Cultura;

3-Para a indicação na lista da UNESCO, depende de ação conjunta de estudiosos, pesquisadores, com o apoio do IPHAN, Poder Executivo e Legislativo do Estado do Acre junto aos Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores.

Anotações de Alceu Ranzi em Setembro de 2007.

sábado, 22 de setembro de 2007

RESPOSTA À CARTA DO DIDI (UNICEF) - ENVIADA PARA O ENDEREÇO ERRADO

Quinta, 23 de agosto de 2007.

Querido Didi, há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu nome para colar nas correspondências). Achei que as cartas não deveriam ser endereçadas à mim. Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido as suas solicitações. Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e te escrever uma resposta. Não foi por "algum" motivo que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos). Você diz, em sua última carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela falta de investimentos em sua formação. Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Esse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não. Eu não sou ministra da educação, não ordeno as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula. A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da família. Trabalhei muito e, te garanto, trabalho não mata ninguém. Estudei na escola da zona rural, fiz supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro empresária. Didi, talvez você não tenha noção do quanto o Governo Federal tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa. Os impostos são muito altos! Sem falar dos impostos embutidos em cada alimento, em cada produto que preciso comprar para minha família. Eu já pago pela educação duas vezes: pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, porque a escola pública não atende com o ensino de qualidade que, acredito, meus dois filhos merecem. Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da educação e de tantos outros problemas sociais. O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não tem a educação como prioridade. O dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal. Para você ter uma idéia, na minha cidade, cada alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos) enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos)! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda? Você diz em sua carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torneadulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você. É por isso que sua carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria se endereçada ao Presidente da República. Ele é "o cara". Ele tem a chave do cofre. Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas. No último parágrafo da sua carta, mais uma vez, você joga a responsabilidade para cima de mim dizendo que as crianças precisam da "minha" doação, que a minha" doação faz toda a diferença. Lamento discordar de você Didi. Com o valor da doação mínima, de R$ 15,00, eu posso comprar 12 quilos de arroz para alimentar minha família por um mês ou posso comprar pão para o café da manhã por 10 dias. Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas R$ 15,00 eu não vou doar. Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família. Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer não para quase tudo que meus filhos querem ou precisam? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida. Você acha isso justo? Acredito que não. Você é um homem de bom senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira. Outra coisa Didi, mande uma carta para o Presidente pedindo para ele selecionar melhor os professores. Só escolher quem de fato tem vocação para o ensino. Melhorar os salários, desses profissionais, também funciona para que eles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação. Peça para ele, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam além de ler, escrever e fazer contas, possam desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso tem sim! Diga para ele priorizar a educação e utilizar melhor os recursos. Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando...

Eliane Sinhasique - Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari

P.S.: Não me mande outra carta pedindo dinheiro. Se você mandar, serei obrigada a ser mal educada: vou rasgá-la antes de abrir.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

BIODIESEL A VENDA NO ACRE

Extraído de gorduna animal e vegetal, o bieodiesel já pode ser encontrado para comercialização em alguns posstos distribuidores de combustíveis em Rio Branco. Aos poucos os acreanos vão se adaptando com essa rotina de colocar no tanque dos carros um combustível economicamente correto. Nos postos o biodiesel pode ser encontrado por até R$ 2, 18; esse preço pode sofrer mudanças dependendo do local de venda, alguns comerciantes vendem mais de 2 mil litros por dia. A partir de 2008 os veículos movidos a dieseel deverão ter 2% de biodiesel adicionado na composição. A determinação e da agência nacional de petróleo. No Acre ainda não existem produtores em grande escala de biodiesel, mas alguns empresários já estão desenvendo algumas técnicas para consumo próprio. Para comercializar é preciso ter autorização e certificação da Petrobras. O Acre tem um grande potencial de recursos naturais, vegetais e animais para produzir e gerar emprego e renda na região, falta apenas apostar no empreendimento.

A GOL E QUEM MANDA NO JURUÁ!

Um avião monomotor, fretado pelo Prefeito do município de Ipixuna no Amazonas, decolou do Aeroporto Internacional de Cruzeiro do Sul na manhã deste domingo (16), levando a aposentada Leoneza Maria Barroso, de 64 anos, acompanhada de dois filhos e uma enfermeira. Ela viajou para fazer tratamento de saúde em Rio Branco. O pouso na capital acreana ocorreu por volta das dez e meia da manhã.
Encaminhada pelo TFD (Tratamento Fora de Domicílio), ela havia sido retirada da sala de embarque do aeroporto da cidade, na tarde de sábado (15) no horário do vôo da Gol Linhas Aéreas.A empresa ignorou um mandado de segurança com pedido de liminar, expedido pela Juíza Lílian Deise Braga Paiva da Primeira Vara Cível da Comarca de Cruzeiro do Sul, obrigando a empresa a embarcar a paciente sob pena de multa no valor de mil reais por dia, caso descumprisse ordem judicial. Mesmo com a presença do oficial de justiça no aeroporto, a Gol não realizou o embarque da passageira. Houve clima de tensão com o desespero dos familiares no saguão do aeroporto. O supervisor da Gol, Nilsen de Paiva Lima que respondia pela gerência, foi levado por policiais federais até a delegacia da Polícia Federal na cidade, onde foi lavrado um termo circunstancial de ocorrência (TCO) e cerca de duas horas depois foi liberado.No momento de exaltação da família, desembarcou no aeroporto o prefeito Davi Farias do município de Ipixuna (AM). Ele comoveu-se ao presenciar a aflição, e comprometeu-se em fretar um avião para levar a paciente. O vôo particular só não saiu ainda na tarde de sábado, devido ao mau tempo. "Nem a justiça eles obedecem, Deus enviou o prefeito de Ipixuna que se compadeceu com a nossa situação. Ela fez uma ótima viagem e não precisou de oxigênio" comenta Morcina Maria Barroso da Costa, irmã da aposentada, que não esconde o desejo da família de mover uma ação na justiça contra a empresa aérea. Leoneza Maria Barroso, há quinze dias teve seu quadro clínico agravado com um problema pulmonar, e suspeita de câncer. Ela foi encaminhada através do TFD, para realizar um exame de broncoscopia e consultar-se com um médico pneumologista em outra cidade. A rejeição da empresa em transportar a mulher segundo Janaína Negreiros a enfermeira acompanhante, seria porque no atestado médico constava que ela poderia necessitar de oxigênio durante a viagem. A cessão de constrangimentos enfrentados pela paciente e sua família, começou na última quinta-feira, 13 de setembro, quando retornou do aeroporto sem conseguir embarcar. A família, de forma urgente tomou a iniciativa de procurar a defensoria pública, que entrou com o pedido de liminar deferido pela juíza, o mesmo que mais tarde seria rejeitado. A Gol não se pronunciou sobre o episódio.

Genival Moura - Tribuna do Juruá

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

REPÓRTER QUE COMBATE O CRIME!

O repórter de mil faces.
Eduardo Faustini, e o maior repórter investigativo da televisão brasileira (trabalha na Globo). Ele é o repórter de mil e uma faces, mas uma só paixão: a quebra de sigilo a serviço do interesse público. Esta foto de Faustini foi tirada durante sua circulação pelo congresso da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), que reuniu mais de 400 pessoas, entre jornalistas, estudantes e pesquisadores do tema, na PUC-Rio. Foi sensacional! Toda a diretoria da Abraji está de parabéns pelo feito. Ao final, houve o lançamento do livro Dez reportagens que abalaram a ditadura, da Editora Record, organizado por Fernando Molica. A maioria absoluta dessas reportagens trata de crimes cometidos durante a ditadura militar. Eduardo Faustini, sob o mosaico: não vou dar mole para corrupto!

FONTE BLOG: repórter do crime.

PARA RELEMBRAR DE JORGE VIANA!

E agora, Viana?

A devastação no Acre, durante a gestão de Jorge Viana, foi maior do que se pensava
O petista Jorge Viana governou o Acre por oito anos, de 1999 a 2006. Logo que chegou ao poder, percebeu que o discurso ambiental poderia lhe render projeção nacional e batizou sua gestão de "governo da floresta". No segundo ano de mandato, passou a alardear que havia contido o desmatamento em seu estado. Tornou-se um dos astros do petismo e aproximou-se do presidente Lula. Seu peso político aumentou tanto que, agora, mesmo sem mandato, disputa com José Sarney e Jader Barbalho quem apadrinhará o próximo superintendente da Sudam, a Superintendência para o Desenvolvimento da Amazônia. A imagem de Viana como protetor da natureza, no entanto, está tão ameaçada quanto a mata que ele diz defender. VEJA teve acesso a um estudo encomendado pelo próprio petista que mostra que, nos seis primeiros anos de sua gestão, a velocidade do desmatamento no Acre triplicou e chegou à marca de 995 quilômetros quadrados em 2004. É como se uma área de floresta do tamanho de catorze campos de futebol fosse derrubada por hora. Pior: o estudo, feito pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), revela ainda que, de todo o desmatamento do Acre, cerca de um terço ocorreu durante a administração de Viana. O então governador recebeu as conclusões do estudo em agosto do ano passado – e as escondeu.Em setembro de 2003, VEJA já havia informado que a devastação no estado aumentara no governo do PT. Viana se esforçou para desqualificar a reportagem. Alegou que os números apresentados estavam errados e escalou jornalistas pagos com dinheiro público para replicar sua defesa pelo país. Em seu estado, usou dinheiro do Erário para atacar VEJA nos jornais e TV locais. "No meu governo, o desmatamento só cai", jurava ele. Poderia ter-se poupado. O estudo do Imazon, feito com base em imagens de satélite, tem um grau de precisão inédito no país e confirma o diagnóstico da destruição. No Acre, entretanto, Viana mantém sua boa imagem, principalmente entre os onguistas. Sintomático. Lá, nem os "povos da floresta" andam preocupados em manter as árvores em pé. No seringal Nova Esperança, em Xapuri, 36% da floresta dentro de sua área foi destruída. A Reserva Extrativista Chico Mendes está salpicada de pastagens. Fatos assim mostram que a falta de avaliações isentas e sem romantismo ameaça tanto a preservação ambiental quanto o crescimento econômico em um estado que já perdeu 11% de suas florestas e continua a ostentar alguns dos piores indicadores sociais do país.




FONTE: REVISTA VEJA - 07/04/O7.
Leonardo Coutinho é repórter da revista Veja em Belém. Certa vez um diretor (Zé Celso, talvez) disse que estava faltando vaia no teatro brasileiro. Acho que está faltando vaia na política acreana. Temos que acabar com essa ovação de que tudo está perfeitinho, de que somos anjinhos e de que já estamos todos no céu. Vide o projeto de prospecção de petróleo e gás.(Comentário do blog do jornalista Altino Machado)

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

BRASIL SEM INTERNET

A maioria da população brasileira ainda não tem acesso pleno ao mundo digital. Os números mais recentes obtidos pelo Núcleo de Pesquisa, Estudos e Formação (Nupef) da organização não-governamental Rede de Informações para o Terceiro Setor (Rits), com base em pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil, indicam que apenas 20% dos brasileiros têm acesso à internet. “Ainda é muito pouco, se a gente pensar em outros países que têm uma abrangência de acesso muito maior”, analisou a coordenadora do Nupef, Graciela Selaimen. Ela criticou o fato de que o acesso à Internet no país está muito concentrado nos grandes centros urbanos e no litoral.
“Em metade dos municípios brasileiros, para você acessar a Internet tem que fazer uma ligação interurbana. Esse é um fosso, um hiato que tem de ser superado. E o custo desse acesso para o usuário final tem que ser debatido com a sociedade de maneira bastante democrática”, sugeriu.
A coordenadora do Nupef afirmou que o estabelecimento de uma meta de inclusão digital deve ser preocupação de uma política pública nacional. Segundo indicou, o Brasil não tem uma política pública de inclusão digital consolidada.
Ela lembrou que o Brasil tem alguns exemplos, algumas experiências, algumas iniciativas de governo, organizações da sociedade civil, algumas empresas como Petrobrás e Banco do Brasil, que têm seus projetos e incorporam o tema da inclusão digital.
“Mas dizer que no Brasil existe uma política pensada, uma estratégia nacional de inclusão digital para superar esse hiato e esse nível de exclusão principalmente nas áreas rurais e nos pequenos municípios isso não existe. É uma coisa que precisa ser construída”.


Alana Gandra Repórter da Agência Brasil -Rio de Janeiro.


Vivo lidera reclamações no Procon/Ac



Foi divulgado pelo Procon/Acre na manhã desta terça-feira, dia 11, o Cadastro de Reclamações Fundamentadas. A superintendente do órgão, Francis Mary, apresentou o ranking das empresas que motivaram mais reclamações no Procon do Estado entre setembro de 2006 e agosto de 2007. A divulgação do cadastro é uma exigência do Código de Defesa do Consumidor e acontece simultaneamente em dezesseis Estados no dia em que se comemora 17 anos do Código de Defesa do Consumidor.
O relatório é feito com base nas Reclamações Fundamentadas, que representam 15,33% do total. A maioria é resolvida diretamente no balcão de atendimento e não gera um processo administrativo. Das 1.875 reclamações do relatório os três setores que mais tiveram registro em ordem foram os de produtos, depois serviços essenciais e então serviços financeiros. As dez empresas campeãs de reclamação são:

1- Vivo
2- Benq Eletroeletrônico
3- Motorola do Brasil
4- Eletroacre
5- Saerb
6- LG Eletrônicos
7- Claro
8- Gradiente
9- CCE
10- Multibrás Compra Certa (Brastemp)
Ao colocar essa lista à disposição da população, além de cumprir uma determinação legal, o Procon fornece mais argumentos para que o consumidor se torne mais consciente de seu papel. Segundo Francis Mary esse esforço servirá para que o consumidor conheça as empresas que mais lesam seus direitos e assim escolha com mais propriedade com qual irá se relacionar.
A formação deste cadastro é possível graças ao SINDEC (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor), um programa que integra o banco de dados de Procons de todo país. Esta ferramenta agilizou e tornou o trabalho mais eficiente, de acordo com a superintendente.
O Procon/AC entrou em funcionamento em março de 2002 e no Estado é o órgão responsável pela coordenação e execução da política de proteção e de defesa do consumidor. Cabe ao Procon orientar, receber, analisar e encaminhar reclamações, consultas e denúncias de consumidores. Assim como fiscalizar os direitos do consumidor e aplicar sanções quando for o caso.
Os telefones do Procon/AC são 3223 3261 e 32233497. Você pode entrar em contato também através do e-mail:
mailto:procon.acre@ac.gov.br

Quem quiser ter acesso à pesquisa nacional pode entrar no site do SINDEC (http://www.mj.gov.br/dpdc/sindec/sindec.html)

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

RECONHECIMENTO DOS PAJÉS E PARTEIRAS TRADICIONAIS DO ACRE.

Como aliar o conhecimento tradicional dos povos da floresta com o conhecimento científico ensinado pelas universidades? Esse é o principal tema de um encontro envolvendo representantes de 16 grupos indígenas do Acre, Sul do Amazonas e Noroeste de Rondônia. O encontro acontece no auditório do Hotel Pinheiro na capital acreana.
O grande desafio das autoridades ligadas à saúde indígena é o de levar o conhecimento cientifico através dos profissionais de saúde, sem destruir o conhecimento milenar passado de geração para geração nas aldeias espalhadas pela floresta amazônica.
O secretário de saúde Osvaldo Leal participa do encontro e disse que tanto como secretário de saúde como médico acredita que é necessário o estado respeitar mais o conhecimento tradicional dos povos indígenas.
Um dos depoimentos que mais ilustra a necessidade da preservação da cultura indígena foi da parteira Maria Souza que já fez mais de 300 partos. "É preciso respeitar nosso saber, sem as minhas mãos e sem o conhecimento que minha mãe me ensinou muitas mães e muitas crianças morreriam sem vir ao mundo. É minha obrigação ensinar o meu dom às outras pessoas. Nossas aldeias são distantes e sempre que houver um problema de saúde a pessoa tiver que esperar pela chegada de um médico a situação ficaria difícil".
Os pajés, que curam através das plantas encontradas na floresta, também reclamam que muitas vezes o saber tradicional não é respeitado. As autoridades de saúde se quiserem desenvolver um programa sério de promoção de saúde devem rever alguns conceitos. Essa pelo menos é a opinião do coordenador da FUNASA no distrito do Alto Purus, Gelcimar Mota.
FONTE: Da redação ac24horasRio Branco, Acre


VILA PUERTO EVO MORALES NA FRONTEIRA DO ACRE



O rio Abunã, afluente do rio madeira divide a cidade de Plácido de Castro da extinta vila montevidéo na Bolívia. A cidade acreana fica há 92 km de distância de Rio Branco. É atravessando pessoas de um lado a outro da fronteira que o barqueiro, Crispim Arruda (veja foto ao lado, durante entrevista para o blog e Rede Amazônica - Tv Acre. Clique para a foto ampliar), consegue sustentar a família há 20 anos. Seu Crispim hoje com 64 anos de idade acompanhou o crescimento da vila boliviana. Ele conta que viu os primeiros bolivianos que chegaram revendiam toda muamba em barracos de lona, depois de muito iniciaram as construções das palafitas. A vila montevidéo na fronteira do Acre com a Bolívia no passado foi uma grande área livre de comércio, o lugar era muito movimentado. Mas há cerca de quatro meses um incêndio de grandes proporções destruiu completamente o lugar, com o desespero muita gente não teve tempo salvar os objetos pessoais. Hoje aqui só resta ferros retorcidos e muita cinza. Os bolivianos calculam que o fogo destruiu aproximadamente 400 milhões de reais em mercadorias e produtos. Na vila, existiam cerca de 57 estabelecimentos comerciais, 25 proprietários tiveram suas lojas completamente queimadas. A moeda forte brasileira que movimentava a vila boliviana através das compras, desapareceu. Sumiu também a clientela de seu Crispim, hoje não existem mais pessoas interessadas em visitar a vila, o faturamento caiu. Os outros barqueiros abandonaram a profissão, mas seu Crispim o primeiro a fazer este trabalho continua no lugar acreditando em mudanças, para ele o incêndio que destruiu a vila foi criminoso, provocado por acreanos, como forma de vingança da morte de um acreanao em solo boliviano. Dois meses depois os comerciantes bolivianos já estavam instalados em outra área cedida pelo governo, na fronteira com o Acre. Aqui tem escola e uma prédio da força de combate a incêndios com apenas dois funcionários. Cada comerciante teve que reconstruir sua loja em madeira, eles reclamam da falta de apoio dos governos dos dois países. Os comerciantes bolivianos moram agora em local mais isolado e bem distante. Uma clareira aberta na mata garante acesso ao local, numa estrada com muita poeira. A vila Puerto Evo Morales, como será chamada agora perdeu a clientela brasileira. As condições de sobrevivência dessas pessoas são precárias. Os bolivianos reclama que no local não existe rede de água potável ou tratamento do esgoto, também não tem posto de saúde ou equipes médicas. O que mais prejudica no verão e a grande poeira da estrada de terra, no inverno a lama dificulta tudo. Por enquanto os governos da Bolívia e do Brasil só estão preocupados com a construção de uma ponte que interliga a cidade de Plácido de Castro a vila que agora será chamada de Puerto Evo Morales. Na nova vila não tem posto alfandegário, os comércios foram construídos depois que uma clareira foi aberta na mata para colocar as novas lojas. Por enquanto a sensação é de abandono do lado boliviano. A falta de estrutura no país vizinho, afeta a economia e o turismo em Plácido de Castro, por onde passam a maioria dos clientes em busca de produtos e mercadorias mais baratas na Bolívia.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

COCAÍNA NO ESTÔMAGO!

Os bolivianos foram presos por volta das duas horas da madrugada desta quarta feira no aeroporto internacional de Rio Branco, quando tentavam embarcar para São Paulo. Esta foi a maior apreensão de cocaína já feita no Acre sendo transportada dentro do estômago por traficantes. Gonzalo Jimmy Mendes Ugarte de 30 anos de idade ingeriu 100 cápsulas, cada uma com apromidamente 30 gramas. Betsaida Aguilar Gutierrez de 19, tinha ingerido outras 90 cápsulas de cocaína. Dentro da bota do traficante a policia encontrou mais de 15 cápsulas que já tinham sido expelidas. O casal mora em Santa Cruz de La Sierra. De acordo com a polícia no total eles transportavam cerca de 3 quilos de cocaína. No depoimento a polícia o casal confirmou que mais bolivianos estão tentando entrar no Brasil pela fronteira acreana, transportando entorpecente no estômago. A Polícia Federal disse que vai reforçar a fiscalização principalmente no aeroportos. Para os agentes da polícia federal os dois disseram que tentavam embarcar a droga pelo Acre, por que existem barreiras de fiscalização no Mato Grosso, onde é comum este tipo de tráfico principalmente entre jovens. Segundo as investigações quando a droga chegasse ao destino cada deles receberia cerca de 1500 reais. O casal permaneçeu a tarde inteira desta quarta feira em uma das enfermarias do pronto socorro de Rio Branco, onde foram medicados para expelir a droga. No ano passado a Polícia Federal realizou três apreensões deste tipo. Esta é a segunda prisão de 2007. Segundo a polícia os traficantes estão mudando a estratégia de trabalho deles, agora recrutam menores de idade e pessoas de baixa renda para transportar entorpecente. Essas pessoas são atraídas pelo dinheiro fácil, por isso enfrentam qualquer perigo, inclusive a morte e o risco de serem presos.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

UM ANO SEM VANESSA SEQUEIRA.

Eduardo Amaral Borges (Cazuza)

Hoje completa um ano que deixamos (família e amigos) de usufruir do convívio da pesquisadora portuguesa Vanessa Annabel Schaffer Sequeira. Nesta mesma data, como você acompanhou. Vanessa foi assassinada, quando desenvolvia sua pesquisa de doutorado, em Sena Madureira (AC), no assentamento rural Joaquim de Matos.O crime comoveu, e ainda comove, muita gente ao redor do mundo. Vanessa conquistou carinho e amizade de muitos nos vários países em que passou, seja na América Latina ou na Europa.Uma grande corrente de bem-querer a Vanessa se fortalece após sua morte. São homenagens e estreitamento das relações entre seus amigos dos dois hemisférios. O apoio e conforto mútuo em muito tem ajudado a todos na superação da dor de sua perda.Seus amigos e família procuram lidar com a situação em dois campos - o espiritual e o terreno. No plano espiritual, para aqueles que crêem em sua existência, Vanessa continua viva e compartilhando conosco sua energia e vibração.No plano terreno, procuram, e aguardam, o desfecho do caso para que crimes como este não mais ocorram. É aí que quero passar a você algumas informações a respeito do processo judicial.Tenho acompanhado o andamento dos tramites legais para que o julgamento ocorra. A comarca de Sena Madureira, dentro de suas dificuldades logísticas e de recursos humanos, a meu ver, tem se empenhado para que este processo transcorra o mais ágil possível, e ao mesmo tempo estruturando com fundamentos sólidos.O acusado, conhecido como “De Manaus”, está preso em Rio Branco, mas há pessoas na comunidade muito revoltadas com o crime. Creio que se a polícia não tivesse sido ágil, haveria mais um crime naquele dia. Agora eles aguardam também ansiosos pelo julgamento.Tive informações recentes do fórum de Sena Madureira que o trâmite para chegar ao julgamento está prestes a ser concluído. São muitas etapas para que não haja falhas no processo e no julgamento. Por isso a demora.O processo está na fase do libelo - quando o acusado é informado quais serão as acusações que ele sofrerá no dia do julgamento. Em seguida a juíza marca o julgamento, caso não haja nenhum fato inesperado apresentado pela defensoria pública. É bem provável que o assassino seja julgado em outubro.Neste fim de semana estivemos em Sena Madureira, eu e Foster Brown, na companhia do frei Heitor Turrini, no local em que ocorreu sua trágica morte. A visita foi um turbilhão de emoções e simbologias que precisaria de horas para compartilhar com vocês. Visitamos algumas das últimas pessoas que estiveram com ela e pudemos sentir o quanto as pessoas se afeiçoaram a ela.Para uns de lá o clima de revolta é grande quando se trata de lembrar os detalhes de sua morte. Mas basta mudar o assunto que eles contam com muita alegria e saudades história de sua breve passagem pelo assentamento. Ao que pudemos constatar eles adoravam contar piadas de português para ela, e por sua vez ela contava de piadas de brasileiro.E é isto que devemos sempre ter em nossos pensamentos: sua alegria e vontade de transformar o mundo. Acredito plenamente que ao emanar boas energias para ela, seus amigos/as e família, estaremos ajudando-a a seguir com alegria e paz sua vida no plano espiritual.A visita que fizemos foi fotografada e filmada pelo Foster e compartilhamos com vocês uma das filmagens, onde o frei Turrini fez uma pequena missa em homenagem a ela, na capela do assentamento.Obrigado pelo interesse e pelo apoio que tem dado ao caso. Abraços.
Texto de "cazuza" ao jornalista Altino Machado.

TEXTO ORIGINAL NO BLOG: http://altino.blogspot.com/

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

DIPLOMA COMPRADO!

Parece até brincadeira, mas agora é possível comprar diploma nas universidades particulares do Acre, com preços exorbitantes.
Em Rio Branco todas as instituições privadas estão agindo assim.
Além de pagar as mensalidades, os acadêmicos são obrigados a desembolsar mais uma graninha, se quiserem receber toda documentação de conclusão do curso. O maior valor é de 250 reais. A defensoria pública estadual recebeu várias reclamações e algumas ações judiciais já estão tramitando dentro do poder judiciário. De acordo com os defensores, a cobrança é abusiva e irregular, configura como enriquecimento ilícito, crime previsto pelo código penal brasileio. A coisa é seria, mas oficialmente a justiça ainda não proibiu a cobrança no estado. O desmando vai continuar acontecendo, os universitários devem estar aguardando uma ação coletiva do Ministério Público seja Federal ou Estadual, proibindo mas esse roubinho das faculdades. Segundo os defensores do estado, as reclamações devem ser feitas no juizado especial criminal, a ação demora cerca de 60 dias para ser julgada e o estudante recebe o dobro do que foi pago.
As faculdades não tem vergonha de afirmar que fazem a cobrança na maior cara de pau. Alegam que no Acre, a Ufac é a única instituição de ensino credenciada pelo Mec para reconhecer o diploma dos estudantes que terminaram a faculdade. Dos 200 reais cobrados repassam 150 para a Ufac, reconhecer os diplomas.
A desculpa continua não agradando os defensores. A justiça diz que o MEC, deve fiscalizar as faculdades já que proibe a cobrança e autorizou que os valores sejam embutidos nas mensalidades. Nesse jogo de disse me disse, os estudantes pelo jeito vão sair no prejuízo, pois as faculdades estão pouco preocupadas com o que pensa o judiciário, já que não saiu ainda nenhuma decisão proibindo a compra de diplomas.

China é o país da pirataria também na internet

A China não “inventou” a internet mas, a julgar por um “furo” do “Financial Times”, nesta segunda (03/09), inventou o melhor jeito de espionar pela internet. E conseguiu o sonho de todo hacker: entrar nos computadores do Pentágono, incluindo a rede que serve para as mensagens de e-mail (não classificadas) do Secretário de Defesa americano, Robert Gates.O ataque foi tão bem sucedido, a ponto do Pentágono ter sido obrigado a desligar por uma semana uma de suas redes internas. E a contra-espionagem virtual não teve grandes dificuldades em detectar de onde veio a infiltração – veio de computadores do Exército chinês. A denúncia ocorreu no mesmo dia em que a chefe de governo alemã, Angela Merkel, queixava-se a autoridades chineses, durante visita oficial a Pequim, que “hackers” chineses haviam penetrado computadores do governo alemão.O Exército popular regularmente pratica “scans” de redes de computadores de outros países, imitando uma prática iniciada pelos principais países ocidentais. Mas enquanto o Pentágono (e o Ministério da Defesa britânico, entre outros) diz ter tido pouco êxito em romper barreiras virtuais dos adversários, aparentemente os chineses se transformaram nos melhores “cyber spies” da atualidade.Uma fonte americana citada pelo “Financial Times” diz que o Exército chinês provou com enorme sucesso ser capaz de obrigar ao fechamento de redes de defesa americanas, incluindo instituições ligadas ao Pentágono. “Eles mostraram que podem paralisar essas redes numa situação de conflito”, disse a fonte citada pelo diário londrino.Por enquanto os chineses parecem mais preocupados em espionagem e não em sabotagem – para os especialistas, contudo, dificilmente uma coisa acaba andando sem a outra (em caso de conflito, evidentemente). O caso que vem sendo citado é o da Estônia, cujo governo teve os computadores sabotados por interferência da Rússia. A espionagem virtual tem um fator que a torna ainda mais complicada do que a “clássica” atividade de roubar segredos alheios: em muitos casos, os “hackers” conseguem assumir identidades falsas.O problema da China é o grau de controle que o regime exerce sobre o acesso de seus cidadãos à internet. É o que faz os especialistas em segurança cibernética afirmarem que todo “hacker” baseado na China trabalha de uma maneira ou outra para o governo. No caso das reclamações da chefe de governo alemã, as autoridades chinesas disseram que elas também são vítimas de “hackers”, uma atividade que prometeram coibir.Para o Pentágono, a infiltração chinesa parece ter sido sobretudo um grande dano de imagem. Aparentemente, o tipo de conteúdo veiculado na rede quebrada pelos chineses era menos sensitivo. Quanto ao secretário de Defesa, cujo gabinete era servido pela mesma rede, a saída encontrada para minimizar os danos foi, de fato, original. Gates se declarou um “oldtimer”, avesso a computadores e e-mails.
William Waack - jornal da globo

Com a nova conta-salário, trabalhador recebe pagamento onde quiser

A partir de segunda-feira (2/09/07), parte dos trabalhadores da iniciativa privada não será mais obrigada a ter conta corrente no banco indicado pelo patrão para receber salário. Sem pagar nenhuma tarifa nem imposto por isso, o empregado poderá transferir seu dinheiro para o banco que quiser. É o novo esquema da conta-salário, que entra em vigor com atraso – estava prevista inicialmente para 1º de janeiro – e visa estimular a concorrência entre as instituições financeiras, além de atender a uma reivindicação antiga dos trabalhadores. A conta-salário foi criada em 2000. Atualmente, o patrão negocia com o banco como será o pagamento – se em conta salário ou conta corrente comum – e o funcionário é obrigado a seguir a determinação, sem poder negociar serviços e tarifas. “Aquelas vantagens todas que você teria como correntista, hoje quem tem é a própria empresa, que negocia sua folha de pagamento com o banco”, reconhece Jorge Higashino, superintendente de projetos especiais da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Com as novas regras, estabelecidas pela Resolução 3402 do Conselho Monetário Nacional (CMN), de setembro do ano passado, o vencimento será obrigatoriamente depositado numa conta-salário, em banco escolhido pelo patrão. E o trabalhador poderá resgatar ou mesmo transferir o dinheiro para o banco de sua escolha, sem custos. “Isso é bastante importante, atende ao princípio básico da livre escolha. O trabalhador não fica mais vinculado ao banco que o patrão negociou”, avalia Higashino. “Pode escolher o que presta um serviço melhor, tem melhores tarifas ou tem uma rede que atende às suas necessidades”.O trabalhador pode, ainda, optar por não abrir conta corrente em banco algum e simplesmente sacar o dinheiro da conta-salário, sem nenhum custo.
(Mylena Fiori Repórter da Agência Brasil)

LOS PORONGAS - Em seu primeiro disco, banda do Acre mostra psicodelismo e boas letras

A MÚSICA do quarteto Los Porongas vem de Rio Branco, no Acre, mas podia ter sido feita numa grande metrópole como São Paulo. É rock, mas há quem ouça ali alguns traços de pop. O que para alguns pode soar como problema, no caso deles é mérito.
Diogo Soares (vocal e letras), João Eduardo (guitarra), Márcio Magrão (baixo) e Jorge Anzol (bateria) fazem um som extremamente brasileiro sem ser regionalista ou preso a um único gênero. O primeiro disco, que leva o nome da banda, saiu em abril, mas agora foi disponibilizado para download gratuito no site deles (www.losporongas. com.br). A produção é assinada por Philippe Seabra (da Plebe Rude). Talvez venha daí o peso grande da guitarra, como em “Espelho de Narciso” e “Subvertigem”, mas sempre bem mesclado a experimentações, psicodelismo e, especialmente, boas letras.
Diogo Soares trabalha as palavras com poesia, maturidade e inteligência hoje raras no rock. “Álibi da consciência/ no ouvido amiúde/ lodeado por essência/ logo lago vira açude, sim”, ele canta numa canção não à toa batizada de “Lego de Palavras”. Mesmo sem uma grande gravadora por trás e vinda de um Estado tão distante do eixo onde gira o mercado de música, a banda promete. E muito.
(Ana Paula Alfano) Isto é gente - rock.